Etiqueta:

5 dicas

line no background news

Passamos a maior parte do nosso dia a trabalhar, seja dentro de uma empresa ou no nosso próprio negócio. E embora nem sempre seja possível estarmos satisfeitos a 100% com tudo o que envolve o nosso emprego, é importante tirar do mesmo felicidade e bem-estar. Hotmart, empresa global de tecnologia e líder em produtos digitais, traz-lhe 5 dicas importantes para o ajudar a melhorar a sua qualidade de vida no local de trabalho.

  1. Trabalhe em algo que lhe dá prazer –Por vezes é difícil conquistarmos o emprego dos nossos sonhos, mas fazer algo que nos dá prazer é essencial para nos sentirmos bem no local de trabalho e sermos felizes. Faça uma lista das suas habilidades e interesses que possam ser usados na sua empresa e encontre pontos em comum com a sua chefia. Em último caso, pode optar por mudar para outra empresa ou mesmo começar um negócio próprio com as suas paixões, como no universo dos produtos digitais.
  2. Diga “não” à procrastinação –É provavelmente a dica mais difícil de seguir, mas deixar as tarefas para mais tarde apenas serve para acumular trabalho, aumentar a sua ansiedade e desorganizar a sua agenda. Por mais tentador que seja adiar tudo até ao último momento, tente tratar de todos os assuntos atempadamente, aumentando a sua eficiência e evitando problemas de última hora.
  1. Aprenda a trabalhar em equipaTeam work makes the dream work. Se deseja ter qualidade de vida no trabalho, abrace o trabalho em equipa. Isto permite não só que as tarefas sejam feitas com qualidade, mas ajuda também no seu crescimento pessoal (e dos seus colegas) através da troca de conhecimentos. Podem delinear objetivos partilhados e trabalhar em direção ao sucesso dos mesmos.
  1. Separe o trabalho da vida pessoal –Especialmente para os empreendedores, esta dica parece impossível de seguir, mas é essencial separar a vida profissional da pessoal. Se todo o seu foco estiver voltado para o trabalho, com o tempo a sua qualidade de vida diminuirá e sentir-se-á mais cansado, desmotivado e impaciente. O equilíbrio é o segredo: reserve algum tempo para desfrutar com a família, sair com os seus amigos, viajar, ler um livro ou fazer outro hobby.
  1. Seja criativo –Não é difícil sermos engolidos pelo monstro da rotina, porém a criatividade pode ajudar a combatê-lo. Não precisa de inventar novos produtos e serviços todos os dias, mas porque não olhar para as atividades do quotidiano e pensar em outras formas de as realizar? Quem sabe, até poderá chegar a boas conclusões para partilhar com os seus colegas e, assim, aumentar a qualidade de vida de todos.

Para ajudar a conquistar um maior bem-estar e desenvolvimento no trabalho ou empreendedorismo, pode contar com os cursos disponíveis na Hotmart.

subscrever newsletter

60 visualizações

line no background news

Dia 22 de Março assinalou-se o Dia Mundial da Água, que tem por intuito relembrar-nos sobre a importância da conservação e da preservação deste bem tão essencial, que é a base da vida no nosso planeta. A água é um recurso cada vez mais escasso e é fundamental termos sempre em consideração a sua utilização consciente e sustentável, principalmente tendo em conta o panorama de seca intensa que vivemos nos dias de hoje.

A Phenix, uma das marcas líderes no combate ao desperdício na Europa, partilha algumas dicas úteis, em conjunto com a sua Chef Zero Desperdício, Beatriz Machado, para poupar água em casa:

  1. Aproveitar a água de aquecer o duche para utilizar na cozinha

A água que sai do chuveiro, enquanto aquece, pode ser recolhida para um recipiente grande com tampa, para impedir que entrem impurezas ou químicos do duche. Essa água pode depois ser aproveitada na cozinha, como por exemplo para cozer vegetais ou cereais, lavar a loiça, fazer chá ou café, fazer sopa, entre outros (é só deixar a imaginação fluir).

  1. Aproveitar a água de lavagem dos alimentos para regar as plantas

Colocar um recipiente por baixo dos vegetais no lava-loiça, quando estes estão a ser lavados, permite reaproveitar essa água para, por exemplo, regar as plantas, durante as horas com menos sol. Para além disso, é importante ter a torneira com um fluxo de água reduzido, ou então ter um recipiente com água onde se molham os vegetais para que possam ser escovados, poupando-se assim alguns litros de água.

  1. Lavar a loiça na máquina em vez de à mão

Se a loiça for lavada na máquina e o espaço for aproveitado para a lavagem do maior número de peças possível, a poupança de água pode ser significativa, em comparação com uma lavagem à mão com água corrente, ainda que com pouco fluxo. Quem não tiver máquina de lavar loiça, deve encher o lava-loiça com água suficiente para todas as peças. No final, basta enxaguar.

  1. Reinterpretar o conceito de “sujo” na cozinha

Muitas vezes, não é necessário lavar com água corrente, mas apenas passar um pano seco ou humedecido. Isto acontece, por exemplo, com a preparação e confeção de cogumelos, ou mesmo com a limpeza de alguns utensílios de cozinha.

  1. Utilizar apenas a água necessária para cozer alimentos

Na cozedura de alimentos, como por exemplo massa, ovos, legumes, entre outros, devemos utilizar apenas a água necessária para cobrir os mesmos, ao invés de encher a panela de água que depois terá de ser escorrida.

Poupar água e evitar o seu desperdício tornou-se ainda mais prioritário nos últimos tempos. E o melhor é que está ao alcance de todos fazê-lo de forma rápida e simples. Mais dicas sobre como fazer parte desta missão anti-desperdício estão disponíveis no Instagram e no Blogue da Phenix.

subscrever newsletter

24 visualizações

line no background

A importância cada vez maior das alterações climáticas tem levado  as organizações a colocar a sustentabilidade e as preocupações com ESG (Environmental, Social e Corporate Governance) no centro da agenda. Neste âmbito e em linha com o Green Deal sugerido pela Comissão Europeia para tornar este continente o primeiro neutro em carbono até 2050, as empresas ambicionam cada vez mais atingir a neutralidade carbónica – nulidade de  emissões líquidas de gases com efeito de estufa (GEE). Para isto, as empresas terão de adotar  várias ações que permitam reduzir drasticamente as emissões de gases com efeito de estufa e  ter um crescimento associado à utilização de recursos não poluentes. 

Assim, a Cash Converters, multinacional líder em compra e venda de produtos em segunda mão,  sugere cinco recomendações que podem ajudar as empresas a promover a neutralidade  carbónica:  

  1. Medir a pegada carbónica 

A atividade das empresas e organizações pode ter um impacto ambiental bastante  negativo. Assim, antes de mais, as empresas devem estar conscientes sobre qual é a sua  pegada carbónica para que possam desenvolver um plano estratégico tendo em vista a  redução da mesma. Existem diferentes formas de calcular a pegada carbónica das  empresas, nomeadamente, através de calculadoras online como a CoolClimate Network e a Nature Conservancy ou através de empresas de auditoria ou consultoria que se  dedicam cada vez mais a estes cálculos, visto que as emissões de carbono são  consideradas pelos investidores como um fator de risco.  

  1. Apostar e desenvolver a economia circular 

A circularidade e sustentabilidade são conceitos que devem ser tidos em conta em todas  as etapas da cadeia de valor para que seja possível atingir uma economia totalmente  circular: desde o design do produto até ao consumidor. Assim, as empresas devem  gradualmente ir apostando em produtos e matérias-primas provenientes da economia  circular, de forma a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa resultantes da  produção de novos produtos e matérias-primas.  

  1. Compensar as emissões 

Ainda que muitas empresas ambicionem atingir o ponto zero de carbono, determinadas emissões da sua atuação são inevitáveis. Assim, compensar estas emissões será um primeiro passo importante para atingir a neutralidade carbónica. Atualmente, já existem várias opções de projetos de compensação e o importante é selecionar um  parceiro de projeto credível para cada negócio. Entre as várias opções as empresas  podem encontrar projetos que apoiam o desenvolvimento da energia renovável,  plantação ou proteção de florestas ou até projetos que permitem a substituição de  fogões e aquecedores a lenha ou a combustíveis fósseis por opções mais ecológicas. 

  1. Gestão e separação de resíduos 

A União Europeia gera mais de 2,5 mil milhões de toneladas de resíduos por ano. Assim,  para alcançar a neutralidade carbónica, as empresas devem investir na reciclagem para que os seus os resíduos se afastem o mais possível de aterros e locais semelhantes, onde os níveis de gases com efeito de estufa são bastante elevados. A promoção da literacia  ambiental e de noções como a de reciclagem e separação de resíduos junto de todos os  colaboradores podem ser um importante contributo das empresas neste sentido.  

  1. Inverter a dependência energética 

Apesar da energia ser vital em todas as economias, é imperativo que as empresas invertam a sua dependência energética com a aposta em fontes de energias renováveis,  como a energia eólica, solar ou hídrica, eliminando a importação de eletricidade. Isto implica deixar de depender de energias não renováveis e de combustíveis fósseis e da  disponibilidade e flutuação do preço dos mesmos. Neste sentido, uma das soluções  pode ser o investimento na instalação de painéis solares, já que esta é uma fonte de  eletricidade mais eficiente e limpa e é também gratuita, direta e inesgotável. Os  excedentes deste tipo de energia podem ainda ser vendidos a outras empresas e assim  gerar lucro. Por outro lado, caso as empresas não invistam na instalação de painéis  solares ou placas fotovoltaicas, podem comprar este tipo de energia a outras empresas  ou a cooperativas de energias renováveis. 

subscrever newsletter

71 visualizações