Etiqueta:

compostagem caseira

A compostagem caseira é uma solução sustentável e económica ótima para reduzir o volume de resíduos domésticos que são encaminhados para os aterros e geram prejuízos.

O que é

A compostagem consiste no processo de reciclagem de resíduos (sobras de frutas, legumes, folhas, guardanapos, entre outros), no qual os microrganismos transformam os restos num composto semelhante ao solo que é um adubo de ótima qualidade, rico em nutrientes que melhora o crescimento das plantas, relvados e jardins.

Esta é uma técnica muito sustentável para o planeta uma vez que permite reduzir o volume de resíduos domésticos que são encaminhados para os aterros. Assim, é possível dar uma segunda utilização às sobras.

 

Para que serve

A compostagem caseira é uma forma de separação de resíduos que cada vez mais pessoas estão a aderir por, não só por ser um processo ecologicamente sustentável, mas também por ser bastante económico.

Não só permite reduzir a quantidade de lixo que vai da nossa casa para aterro, como evita a compra de adubos ou fertilizante para a sua horta. Trata-se do destino mais indicado para os resíduos domésticos.

 

Vantagens

  • Diminui a quantidade de lixo gerado em casa e, consequentemente a quantidade de lixo destinado aos lixões e aterros sanitários
  • Aproveitamento dos resíduos orgânicos
  • Produção gratuita e natural de adubo para hortas e jardins
  • Proteção do solo contra a degradação
  • Melhoria das condições ambientais

O que pode ser composto

Verdes (ricos em azoto): 

Cascas de frutas, verduras, vegetais crus, sacos de chá, borras de café, cascas de ovos esmagadas, pão, restos de plantas. Necessários para o crescimento de microorganismos.

Castanhos (ricos em carbono):

Derivados de guardanapos, feno, aparas de madeira, palha, agulhas de pinheiros, restos de frutos secos, cascas de batatas, folhas secas. Fornecem a matéria orgânica e a energia para a compostagem.

Não pode ser composto:

Restos de queijo, manteiga ou molhos, cortiça, alimentos gordurosos, cozidos, ácidos, carnes, ossos e óleos, sal, cinzas, fezes de animais, medicamentos, produtos químicos e tudo o que não seja biodegradável. Podem desequilibrar o sistema e/ou atrair animais indesejados.

Como fazer

  1. Escolher o local: Preferencialmente à sombra, num local sem vento
  2. Preparar o composto: No fundo, coloque uma camada de pequenos ramos para impedir a compactação.
  3. Juntar os materiais: Disponha alternadamente camadas de resíduos verdes e castanhos, sendo a última de resíduos castanhos.
  4. Arejar: Certifique-se que mexe o composto pelo menos uma vez por semana.
  5. Regar o composto: Regue com regularidade o composto de forma que este se mantenha sempre húmido. Pegue numa mão de composto e esprema. Se pingar significa que é necessário adicionar mais resíduos castanhos. Se a mão ficar seca, então precisa de adicionar mais resíduos verdes e água.

O composto pode estar pronto entre dois a três meses dependendo dos cuidados que tem principalmente com fatores como a temperatura, humidade, organismos, aragem. Uma vez pronto, deve ter um aspeto homogéneo, cor acastanhada e cheiro a terra húmida.

49 visualizações