Etiqueta:

eco hotel

O Hotel Monte da Provença nasceu em Elvas com o sonho de ser um lugar único que combinasse magia e familiaridade. É um espaço que alia a cultura alentejana ao turismo ecológico e sustentável, estando certificado como Eco Hotel pela Biosphere.

O Monte da Provença produz cerca de metade da sua eletricidade e é autossuficiente ao nível da água que utiliza, que é posteriormente reutilizada. A sustentabilidade está ainda presente ao nível da alimentação, que é confecionada com base no conceito “chef on demand”. Mas há muito mais para ler nesta entrevista sobre este espaço alentejano que garante uma viagem ao passado com todo o conforto contemporâneo.

Monte da Provença: fale-nos um pouco sobre a história deste hotel.

O Hotel Monte da Provença nasceu de um sonho dos proprietários Maria e Joachim. Sempre foi um sonho nosso criar um lugar único onde pudessem receber pessoas dos vários cantos do mundo num ambiente mágico e ao mesmo tempo familiar.

Desde o sonho à criação deste espaço, foram precisos 14 anos e muitos obstáculos foram ultrapassados. O resultado? Um lugar onde o conforto, a tradição, o Alentejo se encontram, criando assim um sítio onde simplesmente apetece estar e ser feliz… rodeado pela natureza.

Sobre a história da propriedade… No fim do reinado do Rei D. Fernando (1350-1369) instalaram-se aqui monges eremitas vindos da serra de Ossa. Com o que cultivavam “proviam” o seu sustento e ajudavam/”proviam” aos pobres. Como neste sítio ha boas fontes e o terreno é bom, é um sitio de “provença”, que vem do verbo provir. Daí o nome de Monte da Provença. Lourenço Annes Reguengo e Margarida Domingues sua mulher doaram estas terras aos monges.

Em 2000, foi comprado por mim em muito mau estado. Começámos por recuperar uma pequena casa e desbravar e plantar todos os anos milhares de arvores. Seguidamente fazer pequenas charcas e barragens para iniciar um politica de retenção de águas. Em 2015 recuperámos a casa principal e abrimos o hotel, após 18 meses de obras.

turismo ecológico

 

Este é um hotel que combina a tradição com o conforto moderno, sendo o seu objetivo “mimar os seus hóspedes”. Em que consiste isto na prática?

Tentamos que as pessoas se sintam em casa e entretidas. Para isso temos não só refeições a pedido, como diversas parcerias para providenciar entretenimento se o quiserem. Passeios a cavalo, de balão ou de bicicleta, visitas guiadas ao património, a museus ou a adegas.

Sustentabilidade no Monte da Provença. De que forma está presente?

Em relação à sustentabilidade ambiental, produzimos cerca de metade da nossa eletricidade com os nossos painéis fotovoltaicos e estamos a planear duplicar a capacidade este ano, o aquecimento de águas e aquecimento central é feito por coletores solares, auxiliados por caldeira a pellets nos dias mais frios ou chuvosos. Tanto o aquecimento como o arrefecimento no verão é feito por piso radiante, a eficiência energética do nosso edifício é A+ e todas as nossas lâmpadas são de LED, os nossos electrodomésticos são de eficiência A++. Medimos os nossos consumos vs o objectivo definido, que nos permite actualmente ter o certificado Biosphere Hotel pelo RTI (Responsible Tourism Institute) e no início iniciamos com a certificação de Eco Hotel TÜV Rheinland.

Para reduzir o consumo de plástico, acabamos com águas engarrafadas de plástico e temos uma máquina para podermos servir água normal e gasificada, do nosso furo. Separamos todo o lixo para reciclagem (tinteiros, pilhas, plástico, cartão, vidro, óleos, etc…)

Somos um Hotel Carbono Zero, não pela compra de créditos de terceiros, mas pela nossa própria redução da Carbono, devido ao uso das energias renováveis, eficiência energética e plantação de 3.406 arvores e 5.416 arbustos, tendo um saldo positivo de 10 toneladas de CO2 por ano.

Também promovemos a deslocação sustentável, tendo 2 carregadores Tesla compatíveis com veículos eléctricos de outras marcas. Fomos pioneiros, em 2015 quando a Tesla ainda não estava presente em Portugal entramos em contacto com a sede europeia, a evidenciar a falta de postos de carregamentos entre Lisboa/Madrid e que estávamos num ponto estratégico, para aumentar a mobilidade eléctrica transfronteiriça na Europa. Curiosamente, mesmo com as limitações de autonomia já tivemos VE da Dinamarca, Inglaterra e Alemanha.

Em termos de água somos completamente autossuficientes com a nossa politica de retenção de águas (charcas, barragens pequenas e “swales” em curva de nível para reter toda a chuva que cá cai). A chuva cai, infiltra-se nos lençóis subterrâneos e nós bombamos de um furo para os consumos do hotel. Depois toda a água que sai das banheiras e lavatórios é tratada e vai para a rega das arvores.

Não temos restaurante convencional mas sim o conceito “chef on demand”, em que através de reserva, confecionamos os pratos tradicionais do Alentejo com uma apresentação mais requintada. O conceito “chef on demand” reduz o desperdício de comida pré-cozinhada e os seus consumos. Temos também uma pequena horta e as nossas árvores de fruta.

Finalmente o na criação de postos de trabalho, todos os nossos colaboradores são da região e indiretamente contribuímos não só através das parcerias mas também através dos nossos fornecedores para o desenvolvimento da região. Tentamos em todas as áreas possíveis comprar os nossos produtos a produtores da região. Não faço aqui a lista exaustiva mas os fornecedores locais são quase 90% do total.

O Monte da Provença está certificado como ECO hotel pela Biosphere. O que significa esta certificação?

Significa o reconhecimento pela Biosphere, da nossa aposta na sustentabilidade ambiental, económica, cultural e social.

alentejo piscina

 

A cultura alentejana é um aspeto importante para o Monte da Provença. Como a incorporam no hotel?

Desde a arquitetura de casa senhorial da região, à decoração cuidada, incluindo tanto antiguidades herdadas dos meus antepassados, como elementos tipicamente alentejanos… à comida tradicional e principalmente a toda a paisagem e natureza circundante.

Quais são as atividades que disponibilizam para quem visita o vosso espaço? Qual é a que tem maior procura?

Desde passeios a cavalo, de balão e de bicicleta, a visitas guiadas a património cultural, museus e adegas com provas de vinhos, temos um pouco de tudo o que nos pedirem e conseguirmos arranjar. O que pedem mais são passeios a cavalo.

De que forma caracterizam os vossos clientes?

Principalmente pessoas que se preocupam com a pegada ambiental e ao mesmo tempo querem gastronomia e alojamento de qualidade, cerca de 50% são estrangeiros do sector médio/alto, mas há um pouco de tudo.

turismo ecológico no alentejo

Que aspetos do vosso hotel consideram que os clientes mais valorizam?

A paz e a tranquilidade. O estarmos perto de tudo, mas no meio da natureza. O conforto a boa comida. O aspeto cuidado de tudo.

Sendo o Monte da Provença uma marca de turismo sustentável, quais foram os principais desafios que encontraram? Como os superaram?

Principalmente a falta de apoios ambientais, pois em muitos casos o investimento inicial é maior. Com perseverança e indo progredindo à medida das possibilidades. Todos os anos melhoramos e investimos e os resultados começam a ser evidentes.

Maria Jardim Schmid

“Tendo crescido entre o Alentejo e Lisboa, trabalhei muitos anos na Corporate Johnson & Johnson Farmacêutica como European Director, mas assim que me reformei fugi para o Alentejo pois sempre precisei de natureza e espaço para me sentir completamente feliz.”

subscrever newsletter

18 visualizações
Scroll Up