Etiqueta:

leite biológico

Nasceu como uma marca exclusiva de manteiga, mas evoluiu para outros produtos. Destaca-se o leite de pastagem biológico dos Açores.

Em conversa com Milhafre dos Açores, fomos perceber como ocorre a produção biológica e qual a diferença do seu leite. Compreendemos ainda como é percecionado o consumidor de leite num futuro próximo.

“O planeta merece um leite assim”. O que esta assinatura nos diz da história da Milhafre? 

Milhafre dos Açores apresenta uma trajetória marcada pela elevada qualidade dos seus produtos e pela relação de grande cumplicidade com a origem.

Durante muito tempo foi uma marca exclusiva de manteiga, caracterizada pela sua cor intensa e sabor pronunciado, características que lhe garantem singularidade e remetem de imediato para a sua origem, os Açores.

Mais tarde alarga a sua gama de lácteos a leite, nata e queijo flamengo, de comercialização exclusiva nos Açores. A inovação alicerçada numa estratégia de crescimento sustentável marca o período de 2017 a 2019, e a marca apresenta o leite de pastagem dos Açores e os queijos Curado da Ilha Terceira e o Queijo da Ilha Graciosa. E surpreende o mercado em 2019 com a apresentação do primeiro leite de pastagem biológico dos Açores.

Neste percurso de crescimento, Milhafre manteve sempre uma promessa de sabor e qualidade, sustentada no respeito e preservação das características naturais, desde a pastagem até a casa do consumidor. E este pioneirismo representa a evolução natural do que melhor se faz. Pela naturalidade e pela sustentabilidade.

“O planeta merece um leite assim” traduz o respeito pelo ambiente deste leite excecional, saboroso, saudável e sustentável, uma evolução única em prol do ambiente que se reflete de forma positiva em toda a cadeia.  Os animais ganham – porque no leite de pastagem biológico as vacas vivem ao ar livre e alimentam-se de pastagens biológicas, livres de pesticidas e adubos químicos de síntese; a comunidade ganha – porque os produtores locais são quem faz e quem cuida, o consumidor ganha – porque daqui resulta um leite muito saboroso, rico em vitaminas, minerais e proteína.

Fazia falta um leite assim. O Leite de Pastagem Biológico Milhafre dos Açores, pela sua origem e modo de produção, pelo seu propósito e por ser um produto de excelência e qualidade, encerra um benefício maior, que é coletivo e sustentável.

 

Milhafre Manteiga

Têm evoluído, ao longo dos anos, a vossa oferta nos lacticínios. O que motivou a entrada nos leites biológicos? 

 Por um lado, dar resposta às necessidades do consumidor de hoje, mais exigente e comprometido com um consumo sustentável, que procura produtos biológicos.  Por outro lado, a preocupação crescente da Milhafre com a biodiversidade, o respeito pelo bem-estar animal e também com os nossos produtores. Enquanto marca, temos esta missão. Embora a procura de produtos biológico ainda seja pouco expressiva, promover essa opção é, como dizia, a missão de Milhafre – Milhafre está a liderar esse movimento de pedagogia e preferência pelos produtos e alimentação de base biológica porque acreditamos que será o futuro.

O Projeto Bio Milhafre constitui um desafio para todos. Para os consumidores, exigentes e implicados e para a marca e produtores que de forma pioneira se dedicaram a criar algo único que ultrapassa o valor intrínseco do produto, com os olhos no futuro! Verdadeiramente mobilizador, porque todos ganham. Seguramente não haverá muitos projetos assim!

Trata-se do primeiro leite de pastagem biológico, exclusivo de produtores açorianos que desenvolveram um longo processo de conversão de solos para pastagens amigas do ambiente que culminou com a obtenção da certificação do modo de produção biológico. O leite excecional que resulta deste modo de produção reflete toda a preocupação da marca pela biodiversidade, o respeito pelo bem-estar animal e por quem produz o leite, e é ideal para quem pretende um consumo ético e um modo de vida mais sustentável.

 

Como antecipam que seja o consumidor de leite daqui a 5 anos? 

O consumidor está cada vez mais atento e com maior consciência ambiental.

O aumento da procura de produtos orgânicos e biológicos é demonstrativo desta tendência, que será crescente, e o leite não será exceção.

Tendo em conta esta evolução, e tendo também em conta o eventual impacto da implementação de políticas a nível europeu, como por exemplo a estratégia do Prado ao Prato, que defende um sistema alimentar europeu mais saudável e sustentável, a pedra angular do Pacto Ecológico Europeu, antecipamos que muitos consumidores de leite convencional venham a transferir as suas escolhas para o leite de pastagem biológico.

 

No que consistem as pastagens de modo de produção biológico? 

São pastagens amigas do ambiente, devidamente certificadas por organismos oficiais.

Obrigam ao cumprimento de um conjunto exigente e moroso de normas no processo de conversão do terreno de não biológico para biológico. Só na preparação dos solos foram dedicados mais de dois anos, que vão da conversão dos sistemas e ciclos da natureza, manutenção e reforço da saúde dos solos e da água, não utilizando pesticidas nem adubos químicos de síntese, contribuindo para proteger a biodiversidade e o ecossistema.

Trabalham com pequenos produtores locais?   

O Leite de Pastagem Biológico Milhafre é produzido em exclusivo nos Açores, em parceria com um conjunto de produtores locais que amam o que fazem e aceitaram o desafio de mudar as suas práticas no maneio das pastagens, adequar o número de vacas leiteiras e respeitar todas as exigências deste modo de produção.

São produtores locais, com herança geracional em muitos casos, famílias para quem os lácteos foram sempre com orgulho um modo de vida, e que se dedicaram agora de corpo e alma a este projeto; têm uma relação de afinidade e de compromisso com todas as etapas da produção, com a terra e com os animais. Um deles comentava “Fui criado a dar nomes às vacas, Boneca, Veleira ou Castela” … E acrescentou: “Neste sítio mágico, a erva cresce de dia para dia, sem pesticidas. Sabemos que os animais vão ter uma alimentação magnífica” E porque são bem tratados, isso reflete-se num leite excecional.” O seu trabalho e a sua dedicação foram fundamentais para garantir a certificação do modo de produção biológico. E sabem que fazem parte de um projeto que não compromete as gerações vindouras.

 

Que diferenças o consumidor sente num leite biológico? 

 Acima de tudo o sabor. Mas o leite biológico tem outros atributos, que motivam a sua escolha por parte do consumidor, como o seu valor nutritivo (os alimentos provenientes de Agricultura Biológica são cultivados em solos equilibrados, sendo mais ricos em vitaminas, sais minerais, proteínas e glúcidos, proporcionando uma alimentação rica e saudável), os benefícios para a saúde (pelo facto de não serem aplicados adubos químicos nem pesticidas de síntese), e a diferença de estar a fazer uma escolha mais sustentável, pela saúde da família, dos animais e do planeta.

 

Milhafre Leite Características

Referem o cuidado pela natureza e o bem-estar das vacas. Que ações desenvolvem nas áreas do ambiente e sociedade?  

O lançamento de leite de pastagem Biológico e o modo de produção inerente, é por si só um grande projeto da Milhafre na área do ambiente e sociedade. Envolve a comunidade e ao promover o desenvolvimento de uma agricultura sustentável está a contribuir ativamente para a preservação da vida rural e a paisagem e cultura açoriana. Esta forma de produção faz ainda um uso responsável da água, otimiza energia e fomenta também a biodiversidade.

O contágio de boas práticas deixa sementes para futuro que as pessoas acarinham e respeitam.

Neste capítulo não podemos deixar de referir o exemplo da  Ilha Graciosa, onde o Queijo Milhafre da Ilha Graciosa é produzido, que faz parte da Rede Mundial das Reservas da Biosfera da Unesco, que significa que na área se contribui para a conservação de paisagens, ecossistemas, espécies e variabilidade genética;  que se contribui para um desenvolvimento económico e humano sociocultural e ecologicamente sustentável; e que se promovem alicerces para investigação, monitorização, educação e troca de informação, relacionados com temas de conservação e desenvolvimento locais, nacionais e globais.

A responsabilidade para futuro é grande esperamos por isso que as pessoas se sintam interpeladas, que percebam que fazer diferente e de forma integrada e sustentável alicerça um mundo saborosamente melhor!

 

Milhafre Queijo

 

Maria Godinho

Maria João Godinho

Coordenadora de Gestão de Marcas da Lactogal

Licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEPUP) iniciou a sua carreira na Sonae Retalho Especializado no Controlo de gestão e Planeamento estratégico. Cedo transitou para o mundo do Marketing passando pela SportZone, Continente, Optimus e Portal Exit. Com uma Pós Graduação em Digital Business pela Porto Business School (PBS) é uma apaixonada pelos Projetos de Marca. Já na Lactogal assumiu funções de Product Management e de Category Management. Atualmente é Coordenadora de gestão de marcas na Lactogal, na qual se inclui Milhafre, uma marca com características únicas pela sua origem, pelo seu modo de produção, na forma de estar das pessoas envolvidas e no seu propósito para um futuro mais biológico e sustentável.

49 visualizações
Scroll Up