Etiqueta:

luxo sustentável

De que forma as marcas de luxo podem contribuir para a sustentabilidade? Foi isso que tentamos perceber numa entrevista a Luís Santos, o Loyalty & Brand Manager Volvo Cars Portugal.

Como surge esta iniciativa/parceria entre a Volvo e a 3.1 Phillip Lim ?

Esta iniciativa nasce de um alinhamento comum em relação aos valores aliados à sustentabilidade, e da utilização de materiais produzidos a partir de fontes recicladas e de origem biológica. Este projeto visa ilustrar como podemos efetuar uma nova abordagem a um setor (a moda) que partilha materiais, como o couro, comuns à indústria automóvel. Foi uma oportunidade de pensar de forma diferente, de materializar e redefinir o que para nós, será o novo conceito de luxo – Luxtainability – o luxo ou excelência sustentável, que no fundo é um desejo por materiais sustentáveis, sem comprometer a qualidade.

 

De que forma a produção dos produtos é sustentável? Não em relação ao produto final, mas sim em relação à produção completa do produto.

Esta mala é produzida com materiais reciclados sustentáveis, aproveitados de garrafas PET, materiais orgânicos de florestas sustentáveis na Escandinávia, desperdícios de rolhas da indústria dos vinhos, etc. Este novo material, que designamos por Nordico é comum também ao interior dos novos automóveis 100% elétricos da Volvo, como o C40 Recharge. Desta forma, garantimos que estamos a dar um passo em frente em rumo a ter, cada vez mais, automóveis mais sustentáveis no seu global.

Qual o contributo deste acessório de moda para a sustentabilidade?

Esta acessório de moda, a mala de fim de semana Volvo X 3.1 Philip Lim, é acima de tudo, para nós, um símbolo. Representa o futuro, representa um token e um sinal de como podemos mudar e ser mais sustentáveis. Acima de tudo, simboliza um pensar diferente que sempre caracterizou ambas as marcas (Volvo e a 3.1 Philip Lim). A capacidade de repensar, de ter um papel interventivo e responsável em cada uma das indústrias (automotive + moda).

 

Onde é que os clientes vão poder adquirir este acessório de moda?

Esta mala é uma edição exclusiva, criada como um símbolo. Por esse motivo não vai estar disponível para compra, pois acreditamos que serve um propósito maior: alertar e consciencializar a sociedade de que é possível agir de forma diferente, mais responsável e acima de tudo, sustentável.

Vêm esta parceria como uma maneira de se conseguirem posicionar como uma marca que se preocupa com o meio ambiente, ou como uma chamada de atenção para as outras marcas de luxo terem consciência da importância de se tornarem cada vez mais sustentáveis?

Acima de tudo, vemos esta parceria como uma possibilidade de alertar e apelar à tomada de consciência por parte da indústria automóvel e da moda, para a necessidade de termos todos um papel importante e ativo na construção de um mundo mais sustentável. O compromisso da Volvo para com o ambiente não vem de agora: é algo que existiu desde sempre na marca, e são muitos os exemplos (como por exemplo o recondicionamento de peças desde os anos 40, até à invenção da sonda lambda nos anos 70, que permitiu diminuir de forma enorme a emissão de co2 para a atmosfera).

 

Qual o próximo passo da Volvo para diminuir a sua pegada ecológica?

A Volvo Cars está fortemente comprometida em ser uma empresa ambientalmente neutra e completamente circular até 2040. Para isso, tem concretizado várias iniciativas ao longo dos últimos anos, e irá continuar nesse caminho. Até 2030, por exemplo, os novos automóveis serão 100% elétricos. Por outro lado, a utilização de materiais ambientalmente sustentáveis está patente agora no nosso novo Volvo C40 e não vai mais parar. Todas as nossas fábricas estão no caminho certo e rapidamente irão tornar-se, neutras, na produção de automóveis. E ainda, tomaremos vários passos importantes no rumo à sustentabilidade, como a maximização no recondicionamento de peças, rastreamento do cobalto utilizado nas baterias para garantir que é sustentável e ético na sua recolha, e muito mais. Somos parte do problema, vamos ser parte da solução.

Luís Santos

subscrever newsletter

35 visualizações