Etiqueta:

natureza

O Verdelago está a nascer entre Altura e a Praia Verde, no Sotavento Algarvio, como um resort de natureza. Como surgiu a ideia deste projeto, quando passou à prática e quando estará concluído? 

O Verdelago Resort é um projeto turístico com um relevo ímpar na atração de novo investimento e criação de emprego no Sotavento Algarvio, concretamente no concelho de Castro Marim, um dos menos desenvolvidos da região.

Foi neste contexto e enquadramento que o Fundo Aquarius, FCR, gerido pela OXYCAPITAL, passou a integrar a estrutura acionista da Sociedade – detendo uma participação maioritária na Verdelago, Sociedade Imobiliária, S.A. –, tendo contribuído para um redesenho e redefinição do projeto inicial, transformando o esboço anterior num projeto de excelência em harmonia com o imaginário do Algarve selvagem e em sintonia com a natureza e com as tradições da região, que ulmina naquele que é o único resort de luxo de primeira linha de mar de todo o Sotavento algarvio.

O Verdelago, com uma frente de mar de mais de 1 km, carateriza-se por ser um resort de natureza de luxo inserido em mais de 85 ha de área e com apenas 8,7% de índice de construção. Será desenvolvido em várias fases, e contará com um aldeamento turístico com 340 unidades residenciais turísticas e um hotel de 5 estrelas com 197 quartos, com relevo ímpar não só para o concelho de Castro Marim, mas para todo o sotavento algarvio.

A primeira fase de construção, iniciada em novembro de 2020 encontra-se já em comercialização. Esta primeira fase é constituída por um conjunto de unidades de alojamento exclusivo, onde se incluem 102 unidades residenciais turísticas, das quais 57 estarão concluídas para entrega já no verão de 2022, dividindo-se em 24 apartamentos (T1, T2 e T3), 26 townhouses (V2 e V3) e 7 villas (V4 +1). As restantes 45 unidades estarão em fase de acabamentos.

Os preços começam nos 450.000€ para os apartamentos, 670.000€ para as townhouses e 1.550.000€ para as villas.  Com o início da atividade do Verdelago Resort, os utilizadores terão ao seu dispor o Clube do Aldeamento (com restaurante, bares, open market, esplanada, piscina infinita e zonas de estar), quatro campos de padel e dois de ténis, serviços de apoio familiar (babysitting e kids club), passadiços de madeira de acesso à praia, assim como diversos percursos pedonáveis e cicláveis por entre sobreiros e pinheiros, charcos temporários e uma lagoa.

Com um investimento estimado na ordem dos 270 milhões de euros, a desenvolver entre 7 a 10 anos, é o maior alguma vez realizado nesta zona do Algarve.

 

Quais serão as principais características do Verdelago?

O Verdelago Resort é um projeto singular a nível mundial, que faz parte de uma nova geração de resorts que respondem de forma positiva às dimensões de sustentabilidade social, económica e ambiental. Reforço que estamos a falar de apenas 74.000 m² de área total de construção em 86 hectares de terreno, correspondentes a um índice de construção de apenas 8,7%.

Temos cerca de 70 hectares de espaços verdes, incluindo um parque verde e de lazer com mais de 42 hectares e uma reserva natural em frente do mar com 24 hectares. Estamos a criar vários percursos de passadiços de madeira e a recuperar caminhos pedonáveis e cicláveis, com uma extensão total da ordem dos 7 km, numa envolvência rica de fauna e flora local (por entre pinheiros e sobreiros, charcos temporários e uma lagoa), incluindo zonas de descanso, interpretação ambiental (haverá mesmo um Centro de Interpretação, Proteção e Valorização Ambiental, algo inédito no sector) e desporto ao ar livre, incorporando áreas para conservação e promoção do habitat natural.

Não insistimos no tópico da sustentabilidade por ser retoricamente apelativo, mas porque o respeitamos na prática, numa monitorização e promoção contínuas e estou certo de que esta aposta nos permitirá ser uma referência a este nível.

Verdelago Villa

O que é um resort de natureza e como isso se reflete na experiência do cliente? 

A natureza como novo luxo é verdadeiramente uma realidade na vida das pessoas, exacerbada no contexto da pandemia, espelhada em vários sectores económicos, como o turístico e o imobiliário.

No Verdelago, é esse luxo longe do excesso que ofereceremos, com um foco nas experiências e no desfrutar da autenticidade característica da zona. Menos ostentação e mais apelo aos sentidos e ao bem-estar, mas com todas as comodidades e serviços de um projeto de luxo sustentável do ponto de vista económico e ambiental. 

Num Algarve menos massificado, poderão desfrutar de experiências únicas e personalizadas:

  • Como um piquenique ou uma massagem no Parque Verde ou na praia;
  • Um passeio a cavalo ao pôr-do-sol;
  • Uma visita à Reserva Natural do Sapal de Castro Marim, a uma das idílicas ilhas-barreira da Ria Formosa ou ainda a uma das vilas pitorescas da região, como Cacela Velha, ou à histórica Tavira.
  • Comprar legumes biológicos locais no open market, dentro do próprio resort, ou pedir que estes lhes sejam entregues na sua unidade;
  • Usufruir das várias piscinas de grande dimensão, incluindo a piscina do Clube do Aldeamento, com uma dimensão generosa e orientada a sul, que tem um transbordo “infinito” para a zona das charcas e do pinhal são apenas duas das infinitas possibilidades que terão ao seu dispor. 

É esta a vivência que o Verdelago Resort proporcionará, num conceito de imersão na natureza a 360°, com uma arquitetura não agressiva de escala humana, com uma linguagem contemporânea, mas com respeito pelos valores do local em que se insere, como tão bem a qualificou o Arquiteto Miguel Saraiva, da Saraiva e Associados, responsável pelo projeto. 

 

São o primeiro resort português a aderir à certificação green globe, desde a construção. No que consiste esta certificação? 

Sim, é com evidente orgulho que vemos o Verdelago Resort tornar-se no primeiro Resort Turístico no País a aderir à Certificação Green Globe desde a fase da Construção, tendo a Sustentabilidade como prioridade em todas as operações.

Esta é uma das mais exigentes certificações internacionais de turismo sustentável que reconhece hotéis/resorts, presente em mais de 90 países, que se comprometem a melhorar a gestão ambiental e social da sua atividade. A Green Globe é um membro afiliado da Organização das Nações Unidas para o Turismo (OMT) e o GreenGlobe Standard, que é atualizado anualmente, é reconhecido pelo Global Sustainable Tourism Council (GSTC)

Subjacente a esta escolha, encontra-se a nossa filosofia e escolhas conscientes. Nunca será demais referir que o Verdelago Resort pretende ser um agente local transformador, com uma pegada ecológica nula, contribuindo para o desenvolvimento económico e social da região onde se insere. O seu impacto ambiental será muito positivo, não apenas pelas suas escolhas ao longo do desenvolvimento de todo o projeto (que incluem, por ex., a primazia da economia circular no processo de construção, com recurso a mão-de-obra, materiais e bens locais ou a implementação do plano de mobilidade ligeira), como pelo estilo de vida que vai fomentar – responsável e em sintonia com o ambiente – através da poupança energética, de práticas de sustentabilidade e de consumo consciente, e respeito pela biodiversidade.

Por outro lado, foi concebido para se tornar numa unidade autossuficiente em termos energéticos. Todas as unidades do resort terão uma classificação energética elevada graças à utilização de fontes de energias renováveis, isolamentos eficientes, opções arquitetónicas que valorizam a luz natural e o espaço exterior, a utilização de materiais de grande qualidade, e equipamentos mecânicos e elétricos energicamente eficientes. 

 

A zona do Sotavento algarvio é muito rica na sua biodiversidade e nas tradições locais. Como o Verdelago se relacionará com a envolvente ambiental e social? 

O Verdelago Resort vive da natureza e da sua preservação. Temos por objetivo fazer com que o nosso o impacto na natureza seja mínimo. Criámos um santuário natural para as mais de 110 espécies diferentes de animais identificados no local, onde camaleões, sapos, rãs, borboletas, coelhos, guarda-rios, patos reais, gaios, poupas e até cegonhas brancas, entre inúmeras outras espécies, são não apenas monitorizados por associações independentes, como protegidos.

Temos uma enorme preocupação com o ambiente, com o seu impacto na paisagem. Por isso quer do ponto de vista arquitetónico quer na escolha de materiais procurámos ser sustentáveis optando por um conjunto turístico de 5 estrelas adequado aos atuais desafios ambientais, de mobilidade e de racionalidade.

É um projeto único inserido numa paisagem única, onde a nossa intervenção se funde verdadeiramente com a Natureza nunca se caindo no erro de se lhe sobrepor.

 

Townhouse Verdelago

 

Acreditam que a pandemia que atravessamos tem e terá impacto na escolha dos consumidores? A pegada ambiental será fator crítico de decisão?

Como referi, a natureza como novo luxo é verdadeiramente uma realidade na vida das pessoas, que ganhou força no contexto da pandemia e terá as suas repercussões em variadíssimos sectores, nos quais o turístico e o imobiliário se incluem.

Pelas suas condições de exceção, a sua localização, construção certificada, biodiversidade e proximidade do mar, o Verdelago Resort responde não apenas aos desígnios dos atuais clientes, como aos do futuro, num mercado global cada vez mais exigente, que coloca em primeiro lugar o respeito pelo ambiente e as experiências autênticas. São clientes que querem ser parte ativa de toda uma mudança de paradigma e que têm as questões de sustentabilidade como importantes nas suas escolhas, por reconhecerem o impacto positivo que estas lhes trazem ao seu bem-estar no dia-a-dia. 

 

Quem será o cliente-alvo do Verdelago?

O Verdelago Resort, pela sua localização e conceito, é verdadeiramente único e muito diferente do clássico mercado algarvio.

Mais do que falar em cliente-alvo, posso adiantar que mais de 50% das unidades que estarão prontas para entrega no verão de 2022 foram reservadas ainda na fase anterior ao lançamento comercial. São, na sua maioria, portugueses, espanhóis (até pela proximidade com o país vizinho – a menos de 20 minutos da fronteira e a cerca de  1h30 de Sevilha), brasileiros e americanos que, com a pandemia, procuram cada vez mais investir, viver e ou trabalhar em imóveis com boas áreas, com retorno garantido elevado (5%), com elevados padrões de segurança e em localizações de baixa densidade populacional e sustentáveis, onde possam adotar um novo estilo de vida, passando tempo de qualidade em família e em contacto o mais possível com a natureza. 

 

Qual a vossa visão para o futuro do turismo no Algarve e especificamente no Sotavento?   

É inegável que o contexto pandémico veio acentuar uma tendência que já era notada de uma maior procura da comunhão com a natureza, por pessoas de todas as idades, nas suas múltiplas actividades e escolhas de vida, que incluem o turismo e o imobiliário residencial. A vontade de conciliar o trabalho com a família, os tempos livres, os amigos e a prática de exercício saiu muito reforçada. 

No Verdelago Resort, que se insere no imaginário do Algarve selvagem, sentimos que a preservação e fomento da biodiversidade e a preocupação com a sustentabilidade, aliadas à oferta de soluções turísticas residenciais com áreas generosas e espaços exteriores que possibilitam a implementação de todo um novo estilo de vida onde o “workation” está cada vez mais presente, são um dos nossos principais trunfos. 

Neste contexto, o Sotavento algarvio, tantas vezes apontado como um Algarve com menos brilho, pela sua menor massificação e oferta, ganhará muitíssimo valor porquanto os protagonistas saibam respeitar a sua natureza intocada, não a desvirtuando. O futuro será sempre o de um turismo que faz parte da solução das regiões nas quais se insere e não do problema. 

Paulo Monteiro

Diretor-Geral do Verdelago Resort

Nasceu em 1968 e licenciou-se em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico em 1991. Iniciou a sua carreira profissional no grupo Teixeira Duarte, onde permaneceu durante 23 anos. Exerceu funções de Diretor de Obra, Diretor de Sub-Centro de Produção, Diretor de Centro de Investimentos Imobiliários e Diretor Geral da Área Imobiliária, assumindo entre 2011 e 2014 a direção das áreas de Gestão de Património, Expansão e Imobiliária de todo o grupo. Entre os inúmeros projetos que teve sob a sua responsabilidade nas áreas de Habitação, Turismo, Comércio, Indústria e Escritórios, destaca-se todo o desenvolvimento do “Lagoas Parque” em Oeiras, considerado como um Parque de Escritórios de referência a nível Europeu.

Está desde 2015 na Gestão de Investimentos Imobiliários, Turísticos e Industriais, de sociedades sob a gestão da Oxy Capital, onde exerce, entre outras funções, a de Diretor do WestCliffs Resort, em Óbidos, e Diretor-Geral do Verdelago Resort, entre Altura e a Praia Verde, em Castro Marim.

subscrever newsletter

141 visualizações

A Natureza não envolve as Areias do Seixo, é parte das Areias do Seixo. Um hotel que dispõe de villas e de um abrigo, atividades como o Círculo de Fogo e está junto à Praia do Seixo, em Torres Vedras. Além de uma construção sustentável, cuidados ambientais e objetivos muito bem definidos. Lê tudo.

areias do seixo - quarto tree - natureza

De onde surgiu o nome Areias do Seixo?

‘Seixo’ pois o Hotel situa-se junto à Praia do Seixo, uma praia selvagem e beleza ímpar.

‘Areias’, por nos remeter para as dunas e para a praia.

 

Areias do Seixo é muito mais do que um alojamento, é uma experiência. Concordam com esta afirmação? Em que é que esta experiência se traduz na prática para quem vos visita?

Sim.

As Areias do Seixo tornaram-se um hotel destino, atraindo pessoas de todo o mundo até ao território (85% dos hóspedes são estrangeiros). Tal apenas foi possível, devido ao compromisso com um fornecimento de serviços turísticos de excelência, adequados às suas necessidades do mercado, destacando a sua identidade sobretudo pela competência das soluções e pelo respeito pela natureza e sustentabilidade.

A sua principal vantagem reside na oferta alargada e integrada de serviços durante a estadia, valorizando a experiência como vetor-chave na conquista de angariação e fidelização de clientes e promovendo não apenas a experiência indoor mas também outdoor e em relação direta com outros parceiros no território.

A sua estratégia de posicionamento baseia-se na diferenciação e diversificação dos seus serviços, na componente de sustentabilidade, enquadrados numa infra-estrutura única, desenhada e planeada para valorização da estadia.

O hotel destaca-se pela sua arquitetura, design, originalidade, charme, bem como, a sua forma calorosa e familiar de acolher os hóspedes, como se de uma grande casa se tratasse. Hotel perfeitamente integrado na Natureza que o envolve, rodeado de dunas, mar e pinhal.

Rege-se por princípios ecológicos e sustentáveis, aproveitando os Recursos Naturais disponíveis, enquanto se atua concomitantemente na diminuição dos impactes negativos dessa mesma utilização.

As unidades de alojamento têm um caráter único, respeitando a portugalidade e relacionando-a com influências de outras geografias.

A “experiência” Areias do Seixo reúne tudo isto.

 

O que os motivou a abrir este espaço? Como nasceu a ideia? 

O Hotel Areias do Seixo nasceu de um sonho dos proprietários Marta e Gonçalo. Era muito forte o desejo de criar um lugar único onde pudessem receber pessoas dos vários cantos do mundo, num ambiente mágico e ao mesmo tempo familiar.

Desde o sonho à construção deste espaço muitos obstáculos foram ultrapassados. Resultado? Um lugar onde todos os ingredientes que o compõem foram escolhidos a pensar na originalidade, no conforto… um sítio onde simplesmente apetece estar e viver cada momento… rodeado de mar, dunas e pinhal.

 

areias do seixo - abrigo na natureza

 

De que forma incorporam a natureza na vossa oferta?

Pela localização privilegiada de Santa Cruz… Crua, selvagem, intocada, imensa, impetuosa e arrebatadora. Com as suas praias largas, longas, ímpares e desertas. E é entre as arribas, pinheiros, dunas e rochedos, que brotam as Areias do Seixo. Um Refúgio, Paraíso, Sonho, Retiro, Um Lugar Mágico…

Mas, também, através das experiências que proporcionamos. Por exemplo:

  • O ‘Círculo do Fogo’, onde no aconchego de uma fogueira, saboreamos um Copo de Vinho ao som da doce música das cordas de uma guitarra… inspiramos o aroma da lenha, observamos as estrelas, absorvemos as mais quentes cores do pôr do sol… e brindamos à VIDA!
  • O ‘Da Terra ao Prato’, uma visita guiada pela nossa horta, onde cheiramos, provamos e colhemos legumes, frutas, flores e ervas aromáticas, que serão utilizados na confeção de um almoço delicioso, com a ajuda do nosso Chef.
  • O ‘Jantar no Abrigo do Lago’, num cenário ímpar, acolhedor, rodeado de Natureza, ao som do coaxar das rãs, da brisa que corre no canavial e do bater das ondas, ao fundo.

 

A quem se destina Areias do Seixo? Casais e Famílias?

Os clientes caracterizam-se por pessoas de rendimento elevado, casais, da faixa etária compreendida entre os 35 e 55 anos, provenientes de centros urbanos sofisticados, que buscam o rompimento com a agitação característica do seu dia-a-dia, e que, através da integração com a Natureza e com o meio rural procuram ganhar novas energias.

São pessoas com preocupações ambientais e com apetência para desfrutar de locais de qualidade e conforto num ambiente de charme, mas ao mesmo tempo descomprometido.

São provenientes maioritariamente de Portugal, Inglaterra, Alemanha, Suíça, França e Estados Unidos e são igualmente significantes os mercados Holandês, Belga e Brasileiro.

Tendo 2 modalidades de estadia diferentes – quartos de hotel e villas – ambos (casais e famílias) procuram o hotel. Sendo que os quartos de hotel proporcionam um ambiente muito mais romântico, enquanto que as villas, mais familiar, por serem casas independentes, autónomas e com capacidade para no mínimo 6 pessoas. Ambas as ofertas com atividades e experiências devidamente segmentadas.

 

Que atividades pode uma família usufruir no vosso espaço?

  • Celebrar a Natureza com um jantar, seguido de um filme, no Coreto do nosso Jardim. Sob a luz das estrelas, rodeados por dunas e pinheiros, acolhidos num cenário único
  • Visita guiada pela nossa horta, onde se cheira, prova e apanha. Todos os legumes, frutas, flores e ervas aromáticas serão utilizados na confeção de um almoço delicioso, com a ajuda do nosso Chef.
  • Círculo do Fogo, onde se juntam os hóspedes, contam-se histórias, cantam-se canções ao som de uma guitarra, celebrando – em conjunto – a ida do sol e a chegada das estrelas
  • Yoga
  • Barbecue na Villa
  • Cesto de piquenique
  • Atelier de Expressão Artística

Além de todas as atividades Surf & Action (promovidas pela Noah Surf House – hotel irmão, a 5 minutos): aulas de surf, skate, trekking, treino funcional, pilates…

 

areias do seixo - passeio na natureza

 

De que forma o vosso compromisso com a sustentabilidade está presente? Dê-nos alguns exemplos.

Ambicionando a melhoria contínua, instigando o pensamento sustentável e provando ser possível crescer economicamente em harmonia com o planeta, a conceção/construção do edifício e todo o projeto de engenharia e arquitetura foram desenvolvidos com base em boas práticas de gestão ambiental, com o objetivo de promover a integração harmoniosa com a envolvente natural, minimizar/evitar impactes ambientais e reduzir a pegada ecológica associada ao ciclo de vida do Hotel.

Destacam-se as seguintes ações que foram tomadas na fase de conceção/construção:

  1. Conceção do edifício tendo em conta a sua integração na morfologia do terreno, que é anfiteatro natural, de modo a minimizar o volume do edifício no espaço;
  2. Reutilização dos escombros e ruínas do antigo aviário que existia no terreno onde foi implantado o Hotel, os quais foram previamente britados e aplicados nas bases de pavimentação (foi escolhida para este serviço uma empresa de britagem local);
  3. Climatização do Hotel assente em sistema de geotermia.

No âmbito da nossa política da qualidade, anualmente, são definidos objetivos financeiros e ambientais, indicadores e metas com os quais a Administração e todos os colaboradores se comprometem. Estes objetivos passam pelo:

  1. Crescimento sustentado e dos resultados líquidos positivos;
  2. Rácio do custo de comidas e bebidas, face ao volume de serviços prestados;
  3. Rácio entre a quantidade de matéria-prima produzido na horta e o seu escoamento no Restaurante, evitando a deslocação de matéria-prima;
  4. Redução do custo com energia elétrica, água e gás, entre outros.

Para além disso, o projeto Areias do Seixo privilegia o critério proximidade como um dos critérios de seleção quer dos colaboradores, quer dos fornecedores, visando contribuir para a economia da região e reduzir a pegada ecológica associada ao transporte de bens e serviços.

São várias as iniciativas implementadas, das quais se destacam:

  • Climatização do Hotel assente em sistema de geotermia, composto por captação de energia vertical e horizontal, circuito térmico por pavimento radiante apoiado por bombas de calor. Este sistema ecológico permite utilizar de forma eficiente a temperatura existente no interior da terra, para posterior climatização do edifício e aquecimento das águas;
  • Utilização de cortiça nas paredes duplas para isolamento térmico do edifício (em áreas pontuais em que não pode ser utilizada a cortiça foi utilizado poliestireno expandido para isolamento);
  • Encaminhamento das nascentes – encontradas durante a fase de construção das fundações do empreendimento -, e águas pluviais para poço existente na propriedade, garantindo que os excedentes são reintroduzidos nas linhas de águas existentes; alimentação da água da piscina por furo existente na propriedade;
  • Aquecimento da piscina por recurso aos excedentes térmicos do solar e da geotermia;
  • São efetuadas compras com vista à prevenção da produção de resíduos, por exemplo compras a granel, taras retornáveis, compras em grandes quantidades;
  • A fração orgânica dos resíduos é encaminhada para a unidade de compostagem existente, obtendo-se um composto orgânico, sem aditivos químicos, que é utilizado como fertilizante natural para aplicação nos solos agrícolas da horta – que produz frutas e legumes para abastecimento do hotel;
  • Utilização de cascas de laranja desidratadas e pinhas em substituição das tradicionais e poluentes acendalhas para acender as lareiras;
  • Decoração original, baseada nos princípios do Upcycling, que consiste no reaproveitamento de objetos antigos, de forma criativa, atribuindo um novo e melhor propósito para um material que, de outra forma, seria descartado;
  • Abolição de plásticos descartáveis, nomeadamente de palhinhas;
  • Guardanapos de papel compostáveis;
  • Conceção de ementas sazonais, de acordo com a produção da nossa horta e, sempre que possível, utilizando produtos locais e biológicos;
  • A grande maioria das espécies escolhidas para as zonas ajardinadas são autóctones (locais) e não necessitam de rega, dependem apenas da água da chuva.

 

Sente que os clientes valorizam estes aspetos?

Sim, muito. Como referi em resposta anterior, os nossos hóspedes partilham as nossas preocupações ambientais e valorizam todos os esforços e medidas, visíveis ou invisíveis durante a estadia.

 

areias do seixo - quarto

 

Qual foi até hoje o melhor elogio que receberam por parte de um cliente?

É difícil escolher apenas um…

“A concept reaching far beyond mere ‘eco’ living or ‘sustainability.’”

“It is about getting back to the roots, helping the land build itself back up.”

“Never have I seen such a wonder, nor tasted such delightfully delicious fresh produce.”

”As if had been carved in the landscape by the hands of God”.

 

areias do seixo - crianças

 

areias do seixo

 

areias do seixo - casal

477 visualizações