Etiqueta:

Oni

A ONI, operador português integral com soluções convergentes de Comunicações, Cloud e Cibersegurança, acaba reforçar o seu compromisso para reduzir a sua pegada carbónica ao anunciar um acordo com a Acciona Energia, empresa especializada em produção e fornecimento de energias  renováveis, para o fornecimento de energia 100% renovável para os seus data centers e para os seus consumos internos.

Com este acordo, o data center de Lisboa (Matinha), um dos maiores do país com mais de 2000m2 e o datacenter da Maia, dedicado aos clientes empresariais localizados no Norte do país, que reúnem as mais avançadas soluções de conectividade, segurança e eficiência energética, passam a utilizar energia 100% renovável.

A parceria de cinco anos entre as duas empresas não só garante o fornecimento de energia 100% sustentável, mas também permitirá que cada kW utilizado nos seus data centers seja certificado com garantias de origem 100% renovável, emitidas pela EEGO e rastreado através da tecnologia blockchain. Deste modo, a ONI reforça o seu compromisso com a sustentabilidade e com as emissões zero.

Com o aumento do volume de dados e com a digitalização da maioria dos sectores económicos, os data centers que albergam as suas infra-estruturas requerem enormes quantidades de energia para funcionar. E, se por um lado, é necessária água para arrefecer os servidores, por outro, é essencial para a produção de eletricidade. Neste sentido, no início de 2021, a indústria europeia de cloud e dos data centers assinou um acordo importante para contribuir para a sustentabilidade através de centros neutros do ponto de vista climático.

A Gigas (GIGA.MAB), multinacional espanhola especializada em serviços de cloud computing que adquiriu a ONI há um ano por 40 milhões de euros, também aprovou o acordo que estabelece o compromisso de tornar os data centers na Europa neutros para o clima até 2030. O pacto faz parte do Pacto Verde Europeu, que visa fazer da Europa o primeiro continente neutro para o clima até 2050.

O ambiente é uma das prioridades da nossa empresa. O anúncio de que os nossos data centers em Portugal vão passar, a partir de agora, a ser alimentados com energia 100% renovável é mais um passo em direção ao nosso objetivo de reduzir ao máximo a nossa pegada ecológica”, afirma Nuno Saraiva, CEO da ONI.

O responsável acrescenta ainda que “é uma responsabilidade que devemos ter em mente, uma vez que somos um player importante numa das indústrias mais intensivas a nível energético, as IT”.

Tecnologia Blockchain para garantir fontes de energia

No âmbito do acordo assinado entre a ONI e a Acciona Energía – e em conjunto com os requisitos regulamentares para reduzir as emissões de CO₂ – as fontes de energia renovável serão garantidas através de tecnologia Blockchain. A Acciona Energía utilizará o GREENCHAIN para prestar este serviço. Este projeto baseia-se em tecnologia Blockchain, ideal para oferecer este serviço de forma transparente e em tempo real, permitindo ao cliente rastrear a origem renovável da electricidade utilizada pelas suas infraestruturas alojadas nos data centers da ONI.

O GREENCHAIN é um sistema complementar, desenvolvido pela Acciona Energía, que se baseia na tecnologia blockchain, no sentido de rastrear a eletricidade injetada na rede, até ao ponto de consumo. Com isso, permite dar uma garantia às empresas que adotam esta solução quanto à origem 100% renovável da energia elétrica consumida.

Atualmente, o grupo a que pertence a ONI fornece serviços de telecomunicações, cloud e segurança a mais de 10.000 empresas, bem como serviços de retalho de voz e dados para outras operadoras de telecomunicações dos quais cerca de 1500 se encontram em Portugal. Detém 11 centros de dados na Europa, Estados Unidos y América Latina, incluindo dois centros de dados próprios em Portugal (Lisboa e Porto), redes de fibra metropolitanas em Portugal e uma rede de fibra que liga Madrid a Lisboa e Porto, e que irá favorecer a integração de serviços e operações com a Gigas na Península Ibérica. 

Com a aquisição da ONI, que fechou há mais de um ano, por 40 milhões de euros, a Gigas tornou-se num operador líder no mercado de serviços convergentes de telecomunicações, cloud e segurança para empresas na Península Ibérica, reforçando a sua oferta de produtos para ser um fornecedor abrangente (one stop shop). Atualmente, tem mais de 300 pessoas altamente qualificadas, das quais 165 em Portugal.

subscrever newsletter

86 visualizações