Quinta dos Murças distinguida com Prémio Vintage IVDP Ambiente e Sustentabilidade 2020

por Ricardo Lopes
13 visualizações

A Quinta dos Murças, propriedade do Esporão no Douro, foi distinguida pelo IVDP – Instituto dos Vinhos do Douro e Porto – com o Prémio Vintage IVDP Ambiente e Sustentabilidade 2020. Depois de certificar a totalidade da sua área em produção biológica, a Quinta dos Murças vê reconhecido o trabalho na implementação de uma agricultura de melhor qualidade.

 

Iniciámos o projeto ‘PGBE-QM Plano de Gestão de Biodiversidade e Ecossistemas da Quinta dos Murças’ em 2017, juntamente com a ADVID, o centro de Ecologia Funcional CEF da Universidade de Coimbra, a Sociedade Portuguesa de Botânica, o CIBIO-InBio, a FCUL e mais recentemente com a NBI. Centrámo-nos na avaliação de vários grupos indicadores de biodiversidade e do estado ecológico das vinhas e sua área envolvente, de forma a compreendermos o impacto das boas práticas de gestão agroecológica na biodiversidade da fauna e flora, e na dinâmica das interações entre potenciais pragas e fauna auxiliar. Este reconhecimento, por parte do IVDP, dá-nos motivação adicional para continuarmos o trabalho que iniciámos em 2011, contribuindo para um Douro mais ecológico e sustentável.

Salienta o enólogo José Luís Moreira da Silva.

 

Agradecemos ao IVDP esta distinção a Murças e ao caminho importante que este projecto tem feito na procura de novos patamares de qualidade, nesta região tão única.

Refere João Roquette, CEO do Esporão.

 

Os Prémios Vintage IVDP foram criados com o intuito de incentivar e distinguir pessoas, instituições e projetos que estejam relacionados, direta ou indiretamente, com a Região Demarcada do Douro. Com diversas categorias, pretendem ser um “estimulo à inovação tecnológica, ao desenvolvimento técnico-científico, ao progresso no conhecimento das dinâmicas da sociedade, ao empreendedorismo, à sustentabilidade ambiental, económica e social, o estudo e preservação do património enquanto ativo cultural incontornável, enquanto áreas prioritárias para o progresso da Região Demarcada do Douro, do seu território, das suas gentes, da vinha, do vinho, e dos mercados”.

 

 

subscrever newsletter

Artigos Relacionados

Scroll Up