Etiqueta:

indaqua

line no background news

Os últimos anos trouxeram uma melhoria generalizada da qualidade dos cursos de água de Santa Maria da Feira, conseguida através de ações de proteção ambiental e também do alargamento de redes e de infraestruturas que recolhem, encaminham e tratam águas residuais, evitando que contaminem o meio ambiente. Contudo, as massas de água deste concelho continuam a ser alvo de forte pressão, principalmente, devido a rejeições indevidas de águas residuais industriais e domésticas.

Para promover a deteção e fiscalização de descargas indevidas de saneamento, bem como para dissuadir outras ações poluidoras dos cursos de água, foi criado o projeto “Guardiões dos Rios”, com nome e objetivo inspirados na tradicional profissão dos guarda-rios. Será a equipa da INDAQUA Feira, gestora do abastecimento de água e gestão de águas residuais no concelho, a garantir a vigilância periódica e reforçada das zonas ribeirinhas, identificando e atuando, em tempo real, sobre descargas de efluente não tratado. A equipa de “Guardiões” será ainda responsável por monitorizar clientes industriais, assegurando o cumprimento da qualidade do saneamento descarregado para as linhas de água.

Esta equipa de “Guardiões dos Rios” representa a materialização, no terreno, de um protocolo de atuação conjunta e partilhada entre a INDAQUA Feira, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e a Agência Portuguesa do Ambiente, que ficará responsável pela instrução dos processos de contraordenação, quando se confirmem casos com efeitos danosos para o ambiente.

O início da colaboração foi assinalado no Dia Mundial da Água (22 de março), com a assinatura simbólica do protocolo que prevê ainda o reforço da sensibilização da população para a despoluição das bacias hidrográficas deste concelho. Neste âmbito, a INDAQUA Feira vai reforçar a capacidade de resposta imediata a todas as denúncias de potenciais casos de poluição que cheguem à sua linha de emergência (256 371 510).

De recordar que o concelho de Santa Maria da Feira está localizado na fronteira de duas grandes bacias hidrográficas, a Bacia do Douro e a Bacia do Vouga, a que estão associadas diferentes sub-bacias como a do Rio Uíma, do Rio Inha e da Ribeira de Mosteiro (Bacia do Douro) ou a da Ribeira do Cáster e do Rio Ul (Bacia do Vouga).

subscrever newsletter

159 visualizações

line no background

A qualidade da água distribuída pela rede pública tem, em Portugal, qualidade comprovada, classificada como “excelente” e como 99% segura pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos. Contudo, as ameaças ambientais crescentes a este recurso, como a poluição ou a escassez, fazem o setor procurar mecanismos que antecipem respostas técnicas para, no futuro, ser possível continuar a garantir aos consumidores a segurança da água que lhes é fornecida.

Foi neste contexto que a INDAQUA reforçou, no último ano, o seu investimento no “WaterQuality”, um projeto criado em 2019 para desenvolver um modelo de base tecnológica destinado a tornar mais eficaz e eficiente a monitorização da qualidade da água. A metodologia inovadora integra um complexo e completo conjunto de dados recolhidos ao longo das redes de abastecimento, permitindo detetar e localizar muito rapidamente zonas afetadas por eventuais focos de contaminação.

A constante análise destes dados permite ainda identificar, de forma mais visível e imediata, potenciais situações anómalas no decorrer do habitual serviço de abastecimento. Desta forma, torna-se possível atuar de forma mais rápida e eficiente quando existem situações de emergência, prevenindo ou contendo eventuais contaminações, o que contribui de forma determinante para assegurar a qualidade da água e salvaguardar a saúde publica.

As entidades gestoras em Portugal têm já um rigoroso controlo de qualidade ao nível das melhores práticas europeias. Contudo, é fundamental tornar esse controlo cada vez mais eficaz e eficiente, o que depende da implementação de tecnologias que tornem as redes públicas de abastecimento mais «inteligentes»”, explica Pedro Perdigão, CEO do Grupo INDAQUA. “O trabalho que estamos a desenvolver com o «WaterQuality» é exemplo do reforço que a INDAQUA está a fazer, por um lado, na integração tecnológica e digitalização das operações e, por outro lado, no desenvolvimento de novas soluções que aumentem a resiliência do setor”, acrescenta.

O “WaterQuality” faz parte de um conjunto de projetos de Investigação & Desenvolvimento (I&D), em que a INDAQUA tem fortalecido a sua ação. Só no último ano, foram criados três novos projetos de I&D e alocada uma verba de mais 1,4 milhões de euros para o desenvolvimento destas áreas. Desde 2016, a INDAQUA totaliza 13 projetos e 4 milhões de euros de investimentos em Investigação & Desenvolvimento, comparticipados em parte pelo Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial (SIFIDE) da responsabilidade da Agência Nacional de Inovação.

subscrever newsletter

64 visualizações

A cada ano, a entidade que regula o setor da água reconhece as empresas que se evidenciaram pela qualidade no abastecimento de água para consumo humano e no saneamento de águas residuais urbanas. Após a paragem forçada pela pandemia, a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) divulgou os Selos de Qualidade relativos a 2020 e 2021, tendo a INDAQUA assumido a liderança em ambos.

Em 2019 – a última edição realizada –, a ERSAR tinha já atribuído sete distinções a esta entidade gestora, que garante água e saneamento a mais de 600 mil pessoas. Desta vez, foi atribuído um total de 23 galardões, distribuídos pelos dois anos e por todas as concessões municipais detidas pelo Grupo, que ficam agora habilitadas à atribuição dos Prémios de Excelência de Serviço, que reconhecem a melhor entidade em cada uma das categorias.

Em relação ao ano de 2020, foram atribuídos às (na altura) seis concessões da INDAQUA treze Selos de Qualidade, nas categorias de “Qualidade do serviço de abastecimento público de água (ao consumidor)”, “Qualidade exemplar de água para consumo humano” e “Qualidade para o uso eficiente da água”. A INDAQUA Fafe recebeu uma distinção, enquanto a INDAQUA Feira e a INDAQUA Matosinhos receberam três. Às concessões de Santo Tirso/Trofa, Oliveira de Azeméis e Vila do Conde foram entregues dois selos. 

Este ano, a INDAQUA recebeu dez Selos de Qualidade, distribuídos por cinco concessões. O Grupo foi distinguido nas categorias de “Qualidade do serviço de abastecimento público de água (ao consumidor)”, “Qualidade exemplar de água para consumo humano” e “Qualidade do serviço de saneamento de águas residuais urbanas (ao consumidor)”. Foram atribuídos três selos à INDAQUA Matosinhos, dois selos às concessões de Fafe, Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis, juntando-se ainda a INDAQUA Vila do Conde com um selo. 

O CEO do Grupo INDAQUA, Pedro Perdigão, refere que “É com muita honra que a INDAQUA recebe os Selos de Qualidade ERSAR, sendo reconhecida como entidade prestadora de serviços de excelência, assim como pela gestão eficiente dos recursos hídricos. Distinguir e incentivar a excelência tem também grande importância para o setor, como um todo, pois é garantia de que continuaremos o caminho que tem sido feito no sentido da melhoria contínua da qualidade destes serviços”.

Os “Selos de Qualidade ERSAR” são um mecanismo de premiação das entidades que cumprem os critérios rigorosos para avaliação da água, desde a qualidade, ao uso eficiente de água, abastecimento público e saneamento – categorias onde INDAQUA foi múltiplas vezes distinguida. A cerimónia de entrega dos Selos de Qualidade e Prémios de Excelência da ERSAR está integrada na 16.ª Expo Conferência da Água, que vai contar com a presença de agentes reconhecidos das áreas da água e ambiente, sendo palco de debates sobre o tema da água, os seus principais desafios e oportunidades – uma urgência na preparação para o futuro.

subscrever newsletter

53 visualizações