Etiqueta:

lixo

Cerca de 100 crianças e apaixonados da corrida e da natureza participaram este domingo, 10 de outubro, na ação de plogging e recolha do lixo dos espaços naturais de Miranda do Corvo promovida pela Abutres Trail Running School e pela Câmara Municipal daquela localidade.

Este evento, que assinalou o pontapé de saída da edição 2022 dos Trilhos dos Abutres – uma das provas de Trail mais mediáticas de Portugal, que se realiza de 28 a 30 de janeiro de 2022 – teve como objetivo sensibilizar os mais jovens para o combate à poluição dos espaços naturais e excesso de plástico nos oceanos.

Os alunos de várias escolas do concelho aderiram em força a esta ação, juntamente com os seus pais, e ao longo de toda a manhã recolheram cerca de 2 toneladas de lixo, em apenas uma área de 15 quilómetros circundantes à zona onde teve início à ação de plogging – uma nova atividade física que procura também deixar o planeta em boa forma: enquanto se corre ou se faz uma caminhada, são também feitas pequenas paragens para recolha do lixo do chão das cidades, do campo ou das praias.

O lixo foi posteriormente recolhido, separado e depositado nos locais correspondentes, por uma equipa da câmara municipal.

Tiago Araújo, presidente da Associação Abutrica, afirma: “Foi um dia especial, que marca o início dos Trilhos dos Abutres 2022, uma edição na qual a organização assume um sério compromisso de tornar esta prova ainda mais sustentável e amiga do ambiente. Agradecemos a todos os que a nós se juntaram neste dia, em especial aos mais novos, com a promessa que as iniciativas não ficarão por aqui: vamos reforçar a nossa aposta na preservação dos espaços naturais, com metas sérias para o futuro do evento e da região”.

A organização aposta este ano num processo muito orgânico de promoção do evento, com elementos gráficos naturais, recolhidos na região, e com uma produção gráfica reduzida ao mínimo para diminuir o impacto ambiental. Serão ainda criadas condições especiais para os atletas que se fizerem deslocar por meios de transporte sem recurso a combustíveis fósseis, nomeadamente as bicicletas e trotinetas.

À tarde, os mais novos deram asas à imaginação, com um atelier de trabalhos manuais orientado pela dupla de artistas “Mar de Experiências”. Além de abordada a problemática do lixo quando abandonado na natureza – que posteriormente é arrastado pelas chuvas até aos rios, e sucessivamente até aos oceanos – algum do lixo recolhido no período da manhã acabou por servir de matéria-prima para que os mais pequenos pudessem construir o seu exemplar de “Abutre”.

As peças realizadas (Abutre) no decorrer deste atelier vão estar expostas no último fim de semana de janeiro, no decorrer da 11ª edição dos Trilhos dos Abutres.

Os candidatos podem escolher entre os percursos Ultra Trilhos dos Abutres (distância aproximada de 50 km e 2.500 metros de desnível acumulado positivo) e Trilhos dos Abutres (distância aproximada de 30 km e 1.500 metros de desnível acumulado positivo), provas certificadas ATRP (Associação de Trail Running de Portugal). Está também disponível o Mini Trilhos dos Abutres (distância aproximada de 20 km e 835 metros de desnível acumulado positivo), uma prova que integra o recém-criado Campeonato de Trail Terras da Chanfana.

Caso tenha interesse em participar, pode inscrever-se aqui.

subscrever newsletter

48 visualizações

A Sociedade Ponto Verde tem a missão de promover a recolha seletiva, a retoma e a reciclagem de embalagens em Portugal, desde o ano de 1996. Para isso, o marketing e comunicação têm sido fundamentais, com campanhas anuais – quem não se lembra do chimpanzé Gervásio, em 2000, ou mais recentemente da campanha “É só desta vez”? – que ajudam a passar a mensagem à população portuguesa, obtendo cada vez melhores resultados para o ambiente.

Reconhecendo a importância da instituição e da sua comunicação para um fim tão valioso, decidimos solicitar uma entrevista a Teresa Cortes, diretora de marketing & comunicação da Sociedade Ponto Verde, que prontamente acedeu. Não perca as respostas abaixo.

 

Em 2018, sete em cada 10 lares já faziam a separação das embalagens em Portugal. Qual a evolução desta estatística desde então?

Atualmente, os estudos indicam que temos 71% de lares separadores (dados de 2019), em que 39% dos agregados separam todos os materiais e 32%, ainda, só separam parte dos materiais de embalagem.

No entanto a reciclagem tem vindo a crescer, o que evidencia que quem separa já separa mais e melhor, empenhando-se também na separação das embalagens para reciclagem mesmo quando está fora de casa (local de trabalho, eventos, etc)

 

Este ano a SPV criou e divulgou um conjunto de vídeos onde esclarece mitos sobre a reciclagem. Pode partilhar connosco mitos que considere essenciais serem desmistificados?

Os 14 vídeos criados mapeiam aquelas que são as dúvidas mais recorrentes, quanto às regras de reciclagem, assim como explicam o funcionamento do sistema, credibilizando todo o processo.

O objetivo na criação dos mesmos foi o de termos cidadãos mais informados, para melhor reciclarem, assim como mais confiantes no sistema no qual participam.

Sem prejuízo de nenhum dos temas, destacaria 2:

  1. O grande mito relacionado com os camiões juntarem tudo o que separámos nos ecopontos, ignorando que existe uma estação de triagem. Local onde todos os materiais são entregues, para serem tratados antes de seguirem para reciclagem. Para ficar uma ideia, apenas os plásticos ainda se serão separados em 5 categorias diferentes.
  2. Se devemos separar as embalagens com gordura, onde ainda existe muito desconhecimento sobre o facto de que o plástico sim, mas o papel e cartão não, pela impossibilidade de lavar.

Mas recomendo a visualização de todos, no canal de Youtube da Sociedade Ponto Verde! 😊

 

 

Durante o confinamento, os portugueses demonstraram um empenho e dedicação extraordinários em relação à reciclagem

 

O tema do plástico é um dos temas quentes do momento, nas agendas das várias organizações. Que iniciativas têm sido desenvolvidas pela SPV neste domínio?

Para uma melhor reciclagem e sustentabilidade, a SPV tem trilhado o caminho da aceleração para a inovação, apostando em estar lado a lado das suas empresas clientes, responsáveis pela colocação de embalagens no mercado.

Para garantir a melhor reciclabilidade das embalagens, para que a procura por materiais alternativos seja efetivamente sustentável e para que a diminuição da produção de resíduos faça parte das preocupações das organizações, lançámos o projeto Ponto Verde LAB.  Um espaço online com conteúdos que promovem o design4recycling, para que possamos contribuir para o desenho de melhores embalagens. O objetivo é que estas, desde a sua origem até ao final de vida, sejam concebidas para gerar o menor impacto no ambiente, cumprindo com os princípios de economia circular.

O material plástico está refletido nestas indicações, onde, com um conjunto de indicadores e boas práticas, é possível que este tenha um destino final adequado.

A SPV faz também parte do Pacto Português para os Plásticos, que conjuntamente com agentes de vários setores, se debatem os caminhos necessários para que o material plástico, com todas as suas vantagens, diminua o seu impacto nefasto no ambiente.

 

 

Voltando ao âmbito da comunicação, este Verão, a SPV lançou uma campanha digital com dicas de reciclagem. Quais os objetivos desta campanha?

Durante o confinamento, os portugueses demonstraram um empenho e dedicação extraordinários em relação à reciclagem, mantendo os seus bons hábitos, mesmo com a diferente rotina que encararam. Com a chegada do verão e o tempo de férias, quisemos reforçar junto da população que, neste tempo de maior descontração, de alteração de hábitos e rotinas, de estarmos noutros espaços que não o nosso lar, a reciclagem não deve ser descurada. A reciclagem também faz parte do verão.

Reforçámos os vídeos com as várias dicas e criámos conteúdo específico que apoia a reciclagem no verão, com enfoque nas embalagens mais típicas da época balnear.

Existe sazonalidade na reciclagem?

Aquilo que temos, e que se reflete na reciclagem, é a sazonalidade de consumo. Em épocas festivas, como o natal, há naturalmente um aumento de produção de resíduos e, por isso, contamos sempre com um aumento de reciclagem. Ou, no caso do Verão, por exemplo, garrafas de bebidas refrescantes são um dos materiais que aumenta.

 

Das várias dicas de reciclagem desta campanha de Verão, qual aquela que, na sua opinião, é a principal e com maior impacto ambiental?

Sobretudo as que se relacionam com os comportamentos que se têm nas praias, garantindo que os resíduos que aí se produzem sejam bem descartados. Nunca é demais relembrar que devemos proteger as nossas praias e oceano e que reside na responsabilidade individual o dever de tomarmos as melhores atitudes.

 

Os resultados atuais de reciclagem, revelam um aumento de 5%

desde o início do ano e no decorrer da pandemia

 

Estamos em pleno arranque no novo ano letivo e este período traz consigo decisões de compra e novas rotinas. De que forma é que a reciclagem pode estar presente neste regresso?

A reciclagem deverá ser uma rotina enraizada no dia a dia dos lares, das escolas, das empresas e serviços. Para acompanhar a comunidade escolar, com a missão de criar nas camadas mais jovens estes hábitos, a SPV tem o projeto Academia Ponto Verde. Uma plataforma online com conteúdos para professores e alunos dominarem todos os temas da reciclagem das embalagens, com o incentivo a desencadear ações e iniciativas no recinto escolar, mobilizando também todos os colegas e comunidade envolvente. No ano letivo 20/21 o nosso desafio é o de, para além dos conteúdos disponíveis, levar as escolas a maior ação, com o Concurso Academia Ponto Verde, que, com criatividade e empenho, poderão receber a visita do embaixador do projeto, o músico Francisco Murta.

 

 

2020 é um ano marcado pela pandemia. Existem alterações nos hábitos de reciclagem dos Portugueses? Que cuidados de reciclagem devem ser tidos com máscaras e restantes EPIs?

Durante o período de confinamento, a SPV lançou uma campanha nos meios digitais apelando aos cidadãos, que, embora separados da sua normalidade, não se separarem do essencial, daquilo em que acreditam. A reciclagem estava no mote deste apelo.

Os resultados atuais de reciclagem, revelam um aumento de 5% desde o início do ano e no decorrer da pandemia. Estamos naturalmente muito orgulhosos de todos os portugueses que não se separaram da reciclagem!

No conjunto de filmes de dicas, criámos recentemente um filme adicional, exatamente sobre os cuidados a ter com máscaras, luvas e embalagens de álcool gel. Estas embalagens devem ser colocadas no ecoponto amarelo, depois de utilizadas, enquanto que máscaras, luvas e viseiras devem ser colocadas no contentor do lixo indiferenciado.

Teresa Cortes,
Gestora da Área de Marketing & Comunicação da Sociedade Ponto Verde

Licenciada em Comunicação Social com um Executive Masters in Management with specialization in Strategic Marketing  pela Católica Lisbon School of Business & Economics e ainda uma Pós-Graduação em Marketing Digital.

Tem a gestão da Área de Marketing & Comunicação da Sociedade Ponto Verde desde 2018, entidade onde ingressou em 2005, sempre ligada à área de comunicação e sensibilização.

Descubra todas ações e iniciativas da Sociedade Ponto Verde em www.pontoverde.pt

411 visualizações