Etiqueta:

natureza em regeneração

A Biovilla é um projeto de Inovação Social que alia a Educação para a Sustentabilidade, o Turismo de Natureza e um investimento na regeneração da paisagem ecológica e social, numa lógica integrada e multidisciplinar.

Têm como objetivo mostrar que é possível satisfazer todas as necessidades sem comprometer o futuro de forma economicamente viável, socialmente responsável e ambientalmente positiva. Como? Vivendo de forma regenerativa como têm demonstrado nas suas 8 áreas de atuação. Através da implementação de um conjunto de práticas regenerativas, caminham em direção a um futuro saudável, harmonioso e justo.

Para saber mais sobre este projeto entrevistamos Ana Pina, Responsável pela Missão Social da Biovilla.

line no background news

Como nasceu a Biovilla e qual o seu conceito?

A Biovilla nasceu de um sonho de dois jovens – a Bárbara Leão de Carvalho e o Filipe Alves – que em 2008 decidiram tirar um ano sabático e correr mundo para visitarem projetos de sustentabilidade. Isto numa altura em que este conceito ainda não era muito conhecido em Portugal. Depois de passarem por Findhorn, na Escócia, foi em Auroville que sonharam iniciar um projeto do género e, inspirados por tudo o que aprendiam, decidiram terminar a viagem mais cedo e meteram mãos à obra. O primeiro passo foi juntarem um grupo de pessoas com backgrounds e valências diferentes e, em 2010, constituíram legalmente a Biovilla – Cooperativa para o Desenvolvimento Sustentável, CRL. Depois passaram para a materialização do sonho, encontrando o local certo para o instalar, os apoios financeiros e os recursos humanos necessários. Desta forma, em julho de 2014 foi oficialmente inaugurada a Biovilla no Parque Natural da Arrábida, a 5 km de Palmela e 7 Km de Setúbal.

Acima de tudo somos um projeto de educação sem fins lucrativos que pretende chamar a atenção para o impacto que a ação humana tem no planeta. Até 2020 o nosso tema central era a sustentabilidade mas quando a pandemia nos fez parar, tal como ao resto do mundo, fizemos um balanço dos nossos 10 anos de atividade e enumerámos todas as áreas que trabalhamos – Cooperativismo, Desenvolvimento Humano, Casa para Todos, Energias Renováveis, Alimentação Biológica, Biodiversidade, Cuidado com as Águas, Desperdício Zero. Percebemos que tínhamos que mudar de paradigma e assumimos a assinatura “Somos Natureza em Regeneração”. Acreditamos que o planeta já está tão mal tratado que apenas ser sustentável já não chega, temos que ir mais longe e precisamos de realmente tomar medidas que o ajudem a regenerar.

Então é isso que fazemos de uma forma o mais holística possível, não só através das informações e conceitos que veiculamos a quem nos visita, das formações e capacitações que desenvolvemos ou acolhemos, e de tudo o que partilhamos com quem se hospeda no nosso Turismo de Natureza.

Contribuem ativamente para cinco Objetivos de desenvolvimento social. Quais e de que forma?

Rumo à regeneração em linha com os ODS.

Juntamente com todas as pessoas que se têm juntado a nós ao longo do tempo – parceiros, voluntários, investidores e empreendedores – caminhamos rumo à implementação do modelo regenerativo para alcançarmos um ecossistema mais saudável, harmonioso e justo. Como tal, não poderíamos deixar de estar alinhados com os Objetivos para Desenvolvimento Sustentável (ODS) traçados pelas Nações

Unidas. Somos comprometidos com os 17 ODS, desde a nossa génese e na nossa essência, desde o tempo em que ainda não tinham nome, nem números, nem lugar prioritário na Agenda Mundial. Sabemos que são indissociáveis, mas através das nossas práticas estamos focados em implementar e monitorizar ações que impactam mais diretamente, não 5 mas 8 ODS.

2 | Erradicar a Fome

  • Estamos certos que ao sermos produtores biológicos certificados, promotores de sistemas sustentáveis de produção de alimentos, implementando e capacitando para práticas agrícolas resilientes e que ao confecionarmos refeições bio, altamente nutritivas e saudáveis, estamos não só a contribuir para o restauro da saúde planetária, mas também a permitir que essa abundância saudável chegue, de forma cada vez mais transversal, a todos.

4 | Educação de Qualidade

  • Promoção de atividades de regeneração e desenvolvimento pessoal: Ao longo dos últimos 12 anos, a Biovilla já foi palco e promoveu milhares de horas de retiros e formações sobre sustentabilidade, práticas de regeneração e desenvolvimento pessoal.

Através do Programa VER – Viveiro de Emprego Regenerador, até 2023, oferecemos oportunidade de capacitação para criação de autoemprego e/ou aumento de rendimentos, a 105 participantes, divididos por 3 edições, totalizando cerca de 700 horas de aprendizagem entre atividades teóricas e práticas.

6 | Água Potável + 7 | Energias Renováveis

  • Gestão eficiente e sustentável de recursos naturais: 100% da propriedade Biovilla é abastecida por energia renovável e somos produtores de energia limpa através dos nossos 28 painéis solares. Reaproveitamos 80% da água da chuva para rega da horta. O reaproveitamento permite a criação de um reservatório que serve de piscina aos hóspedes e, ao mesmo tempo, pode servir de abastecimento de água para combate a incêndios.

8 | Trabalho Digno e Crescimento Económico

  • Criação de postos de trabalho: Em 2020 chegou-nos, finalmente, a oportunidade de termos uma escala humana mais apropriada a tudo o que fazemos e promovemos. Conseguimos passar de um posto de trabalho único para uma equipa de 8 contratados. Prevemos ainda, com o término das obras de aumento da nossa infraestrutura, que seja possível criar mais um posto de trabalho a tempo inteiro.
  • Promoção do turismo sustentável e da natureza: oito pessoas que trabalham envolvidas com temas sustentabilidade, cooperativismo e turismo de natureza. São oferecidos quatro alojamentos, e mais quatro estão em vias de construção, que podem receber mais 3.750 visitantes por ano
  • 80% dos participantes do VER – Viveiro de Emprego Regenerador com aumento de rendimentos

12 | Produção e Consumo Sustentáveis

  • Promoção de padrão de produção e consumo sustentável: no nosso Mercadinho serão vendidos mais de 100 produtos orgânicos, promotores da economia circular e local, e sempre que possível lixo zero. Os produtos são provenientes de 30 parceiros e têm o potencial de impulsionar a produção local de produtos sustentáveis. Este será o primeiro minimercado biológico a granel da região de Palmela, e também haverá expansão para uma loja online de produtos, incentivando o consumo consciente.
  • Produção de alimentos orgânicos: Estamos a investir para chegar a um hectare plantado em sistema agroflorestal e horta biológica, que contribuem para 5.500 refeições orgânicas por ano. Em média, durante os meses de inverno, devido à maior abundância hídrica, 60% dos alimentos consumidos na Biovilla provêm da horta.
  • Gestão consciente de resíduos: a Biovilla compromete-se com zero desperdício de comida nos seus espaços de cozinha e refeições, compramos a granel e realizamos a compostagem de eventuais sobras. Além do mais, 80% das águas cinzentas são recicladas e equivalem a 7.000 litros de reciclagem por semana, que serão utilizadas para estabelecer um novo circuito de água para rega de plantas e uso sanitário.

13 | Ação Climática

  • Melhorar a educação, aumentar a consciencialização e a capacidade humana e institucional sobre medidas de mitigação, adaptação, redução de impacto no que respeita às alterações climáticas. Trabalhamos com este propósito todos os dias, há 12 anos sem parar.

15 | Proteger a Vida Terrestre

  • Um dos atuais projetos incubados na Biovilla com potencial para crescimento, é o de recolha de sementes autóctones dentro dos nossos 55hectares que, em parceria com a Cork Connections, são tratadas, pesadas e revendidas para iniciativas de reflorestação um pouco por todo o país. Só no último ano foram colhidas cerca de 200kg de sementes e sabemos que desde o início desde o início do projeto já nasceram mais de 10.000 árvores.
  • Missão Regenerar Florestas – Promovemos, semanalmente, um dia inteiro de recolha e workshop para quem quiser ser voluntário.

17 | Parcerias para os ODS

  • Somos uma Cooperativa, o que significa que na nossa base está a crença que a força do coletivo nos levará, não mais rápido, mas sempre mais longe naquela que é a nossa Missão – através da educação para o desenvolvimento sustentável e regenerativo impulsionar a mudança de hábitos e comportamentos para uma cultura de regeneração que torne o ecossistema mais saudável, harmonioso e justo.

Somos promotores de sinergias e co-criação, desde os nossos primórdios, entre sonhos individuais e vontades coletivas, sejam elas de organizações privadas, públicas ou do 3º sector.

O selo de certificado de produção biológica atribuído à Biovilla em 2018 pela Certiplanet e o reconhecimento da APEE em 2018, 2019 e 2020 como melhor prática no ODS 12 – Produção e Consumos Sustentáveis são fatores que consideram que influenciam a credibilidade do destino?

As várias distinções que temos recebido ao longo dos anos demonstram o nível de compromisso que assumimos, que a nossa missão está alinhada com aquilo que o mundo precisa neste momento e incentivam-nos a querer fazer mais e melhor. Ainda estamos longe de estar ao nível a que gostaríamos mas damos um passo de cada vez, de forma consistente e mantendo a coerência com os valores em que acreditamos. Consideramos que esses reconhecimentos contribuem para a construção da reputação e credibilidade de qualquer organização.

 

De que forma pretendem alcançar a regeneração integral da nossa paisagem ecológica, social e económica com uma floresta viva, uma comunidade local de aprendizagem forte e uma economia próspera sustentada que sirva de modelo para a criação e partilha de valor social em todo o mundo?

Nascemos com a real intenção de ser uma comunidade de práticas para contribuir para o desenvolvimento sustentável, com o tempo tornámo-nos num palco fértil para ser laboratório vivo de aprendizagem e capacitação de práticas para o desenvolvimento sustentável e regenerativo.

Nesta missão que se traduz, invariavelmente, num dia-a-dia de tentativa/erro para conseguirmos acertar:

Atuamos nas 8 dimensões já enumeradas (em resposta anterior), que se traduzem em dezenas de subactividades e iniciativas, de forma a cultivarmos a relação de todos e de cada um com a natureza, satisfazemos as necessidades fundamentais de forma regenerativa, devolvermos o que recebemos, não desperdiçamos pelo caminho.

No que consiste o programa VER – Viveiro De Emprego Regenerador?

O VER é o nosso projeto “bandeira” em termos de Inovação Social.

Um programa de apoio à criação de auto-emprego e/ou aumento de rendimentos com base em negócios regenerativos da Biovilla. Com o apoio da Portugal Inovação Social, através de Fundos da União Europeia, o objetivo do programa é contribuir para a resolução de dois problemas que marcam a nossa atualidade: o desemprego e a perda de biodiversidade.

Destina-se em particular aos desempregados de longa duração e desempregados jovens das regiões de Palmela e Setúbal. Dirige-se ainda a todas as tipologias de emprego em condições não dignas, discriminatórias e destrutivas, quer social quer ambientalmente, de todas as regiões do país que se identifiquem com as práticas regenerativas e queiram desenvolver-se profissionalmente no contexto do VER.

A metodologia e inovação do VER consiste em fazer os participantes experimentarem, técnica e emocionalmente, variadíssimos temas ligados a 4 áreas com potencial de regeneração e de alavanca de negócio social para a Biovilla que constituem a base da capacitação dos participantes:

  • Sementes, floresta autóctone e horta bio
  • Turismo de Natureza
  • Ervas Medicinais e Cosmética Natural
  • Alimentação Saudável

O Programa divide-se em 3 etapas:

  1. Imersão Biovilla / Natureza: O programa começa com uma imersão no nosso espaço dentro do Parque Natural da Arrábida onde os participantes tomam contato com o mundo das práticas regenerativas e seu potencial de gerar negócios/emprego nas 4 áreas principais. Depois do contato com cada uma das áreas, escolhem o tema de aprendizagem. Segue-se então um período de aprofundamento, em formato de “learning by doing”, onde os técnicos de cada uma das áreas os acompanham 2 dias por semana, durante cerca de 4 meses, nas tarefas de prática e aprofundamento do tema escolhido.
  2. Capacitação em Negócios Regenerativos e Mentoria: Inicia-se também com uma semana de imersão em técnicas de gestão e impacto social onde os participantes aprendem a criar os seus próprios negócios alinhados com o propósito e forma de trabalhar da inovação social. Depois do contato com as temáticas de gestão e de impacto, os participantes começam a desenvolver os seus planos de negócio, onde se segue um período de 12 semanas de acompanhamento em formato de mentoria, para facilitação de execução dos seus planos.
  3. Graduação: Um evento final onde reuniremos a nossa network de parceiros e investidores de projetos regenerativos para que os participantes possam fazer um pitch final das suas ideias e sonhos com intensão de recrutamento,  angariação de parceiros e/ou investidores para os seus projetos. É também um momento de celebração de uma nova vida que está por vir

São 8 meses de imersão na Biovilla. Mais do que sessões de capacitação, o que propomos é uma experiência de aprendizagem integral ou parcial de práticas e conceitos técnicos de regeneração de ecossistemas humanos e ambientais, tendo como exemplo vivo um lugar onde tudo isso acontece realmente, a Biovilla.

Acompanhamo-los a criar o seu próprio emprego aliado a uma vida profissional com propósito. Contamos ainda que mesmo que não criem o seu posto de trabalho, fiquem preparados e capacitados para a ingressão no mercado de trabalho destas temáticas que tanto carece de profissionais em temas emergentes tão necessários ao país.

Acreditamos ainda que este Viveiro de Emprego Regenerador, pelo seu formato de imersão técnica e emocional, possa ser verdadeiramente transformador, não só do ponto de vista coletivo, como contributo para o país e para a regeneração do ecossistema social e ambiental que nos rodeia, mas também do ponto de vista pessoal, ou seja, nas vidas de todos os participantes.

Quais os próximos passos para este projeto?

O maior passo é o que estamos a dar neste momento: o aumento da nossa infraestrutura. Estamos a duplicar a nossa capacidade de alojamento, construindo mais quatro quartos, uma sala de refeições para cerca de 30 pessoas e uma nova sala de workshops com cerca de 100m2, o que vai permitir aumentarmos a nossa intervenção e atividade regenerativa. Pretendemos crescer para impactarmos mais pessoas, apoiarmos a comunidade envolvente e contribuirmos para uma mudança de paradigma que entendemos ser urgente para garantirmos um planeta mais saudável para as futuras gerações. Este crescimento vai permitir aumentar a nossa equipa, contratando mais pessoas que queiram ter um emprego mais alinhado com aquilo em que acreditam.

Paralelamente, estamos a abrir a Cooperativa à entrada de novos cooperadores e deixamos aqui o repto para todos os que se identificam com os nossos valores e missão e queiram fazer parte de um projeto único que nos contactem para saberem como poderão participar nesta fase tão importante da história da Biovilla.

line no background news

Ana Pina
Responsável pela Missão Social da Biovilla,

Aos 18 anos assumiu-se como uma Vagamundo e saiu de mochila às costas em busca de descobrir novos hábitos, culturas e experiências, com a real intenção de compreender melhor o Ser Humano e trazer mais visão e mundo para dentro de si.

Durante este percurso formou-se em Comunicação, no Rio de Janeiro, e fez uma pós-graduação em Empreendedorismo Social, pelo Politécnico do Porto. Trabalhou em projetos independentes de produção cultural e na EDP, entre Portugal e o Brasil, atuou nas áreas de Responsabilidade Social, Sustentabilidade e Relação com as Comunidades.

Doou-se, através de voluntariado, a várias causas, entre as quais: às meninas vítimas de violência (Casa Vida / Timor), aos Refugiados (UNHCR/ Grécia) e à resposta de emergência social nos incêndios de 2017 (EDP/Portugal).

É na busca constante por soluções e na crença que o Sonho comanda a Vida que o seu caminho se cruza com a Biovilla e que, em 2020, a missão social da Cooperativa passa a ser parte da sua missão de vida.

line no background news

subscrever newsletter

210 visualizações