Etiqueta:

nos

line no background news

No âmbito da sua estratégia climática, a NOS aprovou em 2021 um plano para a eletrificação total da sua frota até 2030, o que contribui significativamente para a redução estrutural das emissões diretas da empresa. Até que a frota seja 100% elétrica, a NOS vai compensar de forma voluntária as emissões de carbono não evitáveis que são geradas pela sua frota automóvel. 

A compensação voluntária de emissões materializa-se num projeto de arborização de zonas florestais dos concelhos de Fundão, Mangualde, Meda e Pampilhosa da Serra, atingidas por incêndios, removendo da atmosfera uma quantidade de CO2 equivalente às emissões diretas originadas pelo consumo de combustível da frota, que correspondem a cerca de 3 mil toneladas/ano de CO2 (dados de 2021).

Todos os anos é efetuado o cálculo dos hectares de arborização necessários para compensar as emissões associadas à deslocação da frota de viaturas de serviço e de colaboradores da NOS, adotando-se um modelo de plantação misto de pinheiro bravo, carvalho roble, castanheiro e outras espécies, sendo depois considerado um período de 30 anos para o sequestro de CO2 após a arborização.

A título de exemplo, a compensação voluntária de cerca de 3 mil toneladas de emissões relativas à operação de 2021, equivale à plantação de cerca de 38 mil árvores, numa área aproximada de 23 hectares. 

Este projeto de reflorestação alia a captação de carbono, proteção da biodiversidade e resistência natural a incêndios florestais, através da plantação de diversas espécies nativas mais resistentes ao fogo, recuperando também linhas de água e corredores ecológicos, contribuindo para o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas nº 15, bem como para o princípio nº 8  da UN Global Compact – “Realizar iniciativas para promover a responsabilidade ambiental”.

subscrever newsletter

66 visualizações

line no background news

O BPI, que integra o Grupo CaixaBank, assessorou a NOS na estruturação de uma operação de financiamento sustentável de 100 M€, repartidos entre um Empréstimo Obrigacionista (75 M€) e um Programa de Papel Comercial (25 M€), ambos indexados a objetivos de sustentabilidade, com maturidade em 2027.

Com esta operação, a NOS consolida a ligação entre o seu custo de financiamento e o seu desempenho ao nível da sustentabilidade, reforçando e demonstrando a sua relevância estratégica e o compromisso, a todos os níveis da Organização, em atingir metas best in class em indicadores ESG (Environmental, Social and Corporate Governance).

O financiamento foi realizado ao abrigo do recém desenvolvido Sustainability-Linked Financing Framework da NOS, e encontra-se indexado ao objetivo de redução das emissões de gases com efeito de estufa da operação própria (emissões de âmbito 1 e 2) em pelo menos 80% até 2025, em relação a 2019.

O BPI, enquanto assessor desta operação, reforça o seu papel de financiador de referência das empresas portuguesas, através da adoção de soluções inovadoras e assentes em princípios de sustentabilidade. Globalmente, o Banco reforça o posicionamento do Grupo CaixaBank em “Sustainable Finance”, através da consolidação da sua posição no mercado português como um dos líderes em financiamentos sustentáveis.

subscrever newsletter

63 visualizações

A NOS melhorou o seu desempenho em sustentabilidade face a 2020 e obtém agora a sexta classificação mais alta no sector das telecomunicações na Europa, segundo a última avaliação de ESG (ambiental, social e governança) conduzida pela Moody’s ESG Solutions, um provedor de dados e avaliações especializado nestas áreas.

Na edição de 2021, a NOS foi classificada com o nível “Advanced”, obtendo uma pontuação de 63 em 100. A Moody’s ESG Solutions analisa  mais de mil empresas a nível europeu, 35 das quais na área das telecomunicações 

A pontuação obtida pela NOS reflete uma subida de três pontos face a 2020, destacando-se uma melhoria de desempenho nas dimensões Ambiente e Social, com pontuações de 69 e 66 respetivamente, muito acima das médias setoriais de 46 pontos em ambas as dimensões, o que traduz as melhores práticas e iniciativas implementadas transversalmente na Organização. Na dimensão de Governance, a NOS alcançou uma pontuação de 53, que compara com uma média do setor de 48.

Incidindo nas dimensões Comportamento da Empresa, Direitos Humanos, Ambiente, Envolvimento com a Comunidade, Governo da Sociedade e Recursos Humanos, esta avaliação de ESG classifica a capacidade de as empresas integrarem fatores de sustentabilidade na sua estratégia e práticas de gestão, com o propósito de promover o crescimento económico, o investimento responsável e a criação de valor a médio e longo prazo. 

Objetivos e metas de redução de energia e emissões NOS

Em dezembro, a NOS obteve a aprovação dos seus objetivos de redução das emissões de gases com efeito de estufa (GEE) pela Science Based Targets initiative (SBTi). As novas metas assumidas pela operadora estão alinhadas com as trajetórias de redução de emissões definidas pela ciência climática como necessárias para limitar o aumento da temperatura global a 1,5º C, objetivo fundamental do Acordo de Paris. Reconhecida internacionalmente, a SBTi avalia e aprova objetivos de redução de base científica assumidos pelo setor empresarial, acelerando, assim, a transição para uma economia de baixo carbono.

A NOS compromete-se a reduzir, até 2030, as suas emissões de âmbito 1 e 2 (emissões associadas à operação própria) em 90%, em relação aos valores de 2019. No mesmo período, a empresa compromete-se também a reduzir as emissões de âmbito 3 (emissões que ocorrem a montante e a jusante, na cadeia de valor) em 30%.

subscrever newsletter

120 visualizações

A NOS obteve a aprovação da Science Based Targets Initiative (SBTi) aos seus objetivos de redução das emissões de gases com efeito de estufa (GEE). Reconhecida internacionalmente, a SBTi avalia e aprova targets de redução de base científica assumidos pelo setor empresarial, acelerando, assim, a transição para uma economia de baixo carbono. 

As novas metas assumidas pela NOS estão alinhadas com a trajetória de redução de emissões, definida pela ciência climática como necessária para limitar o aumento da temperatura global a 1,5º C, objetivo fundamental do Acordo de Paris. Assim, até 2030 a NOS compromete-se a:

  • reduzir em 90% as suas emissões de âmbito 1 e 2 (emissões associadas à operação própria), em relação aos valores de 2019
  • reduzir em 30% as emissões de âmbito 3 (emissões que ocorrem a montante e a jusante, na cadeia de valor), também em relação a 2019

“A NOS assume o compromisso de ser um agente ativo na transição digital e climática da sociedade portuguesa. Temos vindo a trabalhar, de forma consistente, na redução da nossa pegada carbónica, mas também no desenvolvimento de novas soluções digitais, que ajudam os nossos clientes a diminuírem as suas emissões. É com grande satisfação que a NOS vê as suas novas metas validadas por uma organização de referência internacional.”, afirma Miguel Almeida, CEO da NOS.

A SBTi é uma iniciativa que resulta da colaboração do CDP – Disclousure Insight Action, do United Nations Global Compact (UNGC), do World Resources Institute (WRI) e do World Wide Fund for Nature (WWF). A organização define e promove as melhores práticas de redução de emissões, em linha com a ciência climática, e avalia de forma independente os objetivos estabelecidos pelas empresas neste domínio.

subscrever newsletter

111 visualizações

A NOS é o parceiro principal do evento Portugal Smart Cities Summit, e está representada ao mais alto nível, materializando a sua presença no Auditório NOS e num espaço de exposição no Pavilhão 2 da FIL, no qual serão apresentadas as soluções tecnológicas para smart cities entre as quais soluções assentes em 5G. Para além de uma área dedicada aos parceiros da NOS para o desenvolvimento das cidades inteligentes, como a EDP, Bright City ou CEiiA, este espaço conta também com uma Sala de Comando e Controlo real, o centro nevrálgico das cidades inteligentes, que agrega e faz a gestão de toda a informação gerada numa smart city.  

Demonstrando o impacto da transformação digital nas cidades portuguesas, a operadora transporta algumas das suas principais soluções alicerçadas em 5G e noutras tecnologias para o evento. Assim, ao longo dos três dias de Portugal Smart Cities Summit, a operadora terá em exposição permanente soluções em cinco grandes áreas:

  • Ambiente: soluções de Rega Inteligente (5G), de Gestão Resíduos (5G) e de Contadores Inteligentes (5G);
  • Mobilidade: Passadeiras Inteligentes (5G), Estacionamento Inteligente (5G), Monitorização de Mobilidade (5G), Bike Sharing e soluções de Analytics;
  • Energia: Eficiência Energética em Edifícios e Iluminação Inteligente (5G);
  • Cidadania e Segurança: Video Analytics (5G), Suporte Remoto (5G), Gestão de Ocorrências, Gestão Urbanistica e de Deteção de Incêndios;
  • Saúde e Educação: Monitorização de Segurança nos Domicílios (5G) e Monitorização de Segurança e Saúde de Idosos (5G).

Cidades cada vez mais inteligentes com o 5G

A NOS é pioneira na implementação de soluções de transformação digital, de que são exemplos as smart cities de Albufeira, Seixal, Lagoa ou Vila Nova de Famalicão. Estes municípios adotaram soluções globais e integradas, desenvolvidas em parceria com a NOS, com especial enfoque na gestão urbana eficiente: Lagoa, Famalicão, Seixal e Albufeira têm em funcionamento salas de planeamento e controlo e plataformas integradoras; Águeda implementou soluções de rega inteligente; e Seixal dispõe de uma solução de gestão de resíduos inteligente

A maioria destas soluções já estão disponíveis em pilotos 5G, tirando partido da velocidade ultrarrápida, latência reduzida, segurança, fiabilidade e conectividade oferecidas pela nova geração de comunicações móveis.

É o caso da solução de Rega Inteligente, que utiliza um sistema de controladores eletrónicos, sensores e válvulas para garantir que a quantidade de água aplicada às plantas seja apenas a necessária ao seu desenvolvimento. Esta solução, implementada já no município de Águeda permite poupanças de água e energia na ordem dos 30% respetivamente, possibilita a deteção de fugas, entupimentos e anomalias, bem como a aplicação de modelos de rega, adubagem e tratamentos fitossanitários diferenciados por tipo de plantas.

Já a solução de Iluminação Inteligente, concebida para controlo de iluminação pública, permite monitorar e controlar remotamente, segundo regras pré-definidas, o consumo de energia elétrica, e a qualidade da iluminação pública. A implementação da solução traduz-se numa redução de custos operacionais na ordem dos 10%, a que se somam poupanças energéticas até 25% com o novo sistema de controlo, e poupanças na fatura energética até 50% com a instalação de novas lâmpadas LED. Disponibiliza, ainda, alertas de avarias e comportamentos anómalos da rede de iluminação, em tempo real. 

Por sua vez, a solução de Gestão de Resíduos possibilita a monitorização dos contentores e camiões de recolha de lixo, por forma a otimizar os sistemas de recolha e reduzir custos. Sensores instalados nos contentores indicam o nível de enchimento e, no início da recolha, os veículos recebem a rota otimizada para os contentores que necessitam de serviço. A solução, implementada no município do Seixal, permite já poupanças de combustível na ordem de 20%, e uma melhor gestão dos veículos e equipas, com poupanças efetivas de cerca de 40%. 

Não limitada ao âmbito das smart cities, a solução de Controlo de Consumos tem uma aplicação transversal a todas as organizações, mas com particular enfoque nas empresas. Esta solução permite monitorizar e controlar remotamente o abastecimento de energia elétrica, água ou gases de qualquer tipo. Nas empresas onde está implementada, e a ser testada na rede 5G na NOS, a solução possibilita poupanças de 35% em custos operacionais e de 30% em custos de energia, melhorando o processo de gestão e aumentando a eficiência energética das instalações. A solução disponibiliza ainda alertas de avarias e comportamentos anómalos das redes de energia, água ou gás das instalações, em tempo real.

A NOS está apostada em aplicar as potencialidades do 5G às mais variadas áreas, sendo a das Cidades Inteligentes uma prioridade, para a qual a operadora tem desenvolvido soluções robustas com os melhores parceiros. Estas são feitas à medida para cada autarquia, contando com técnicos e consultores de excelência na adoção, implementação e manutenção dos projetos de transformação digital, contribuindo para um País mais sustentável, seguro, eficiente, competitivo e digital.

subscrever newsletter

153 visualizações

A NOS e a EDP Comercial juntam-se para dar benefícios aos seus clientes e contribuir para um mundo mais verde, reforçando os valores de sustentabilidade comuns às duas empresas, alinhados com a meta de neutralidade carbónica do Pacto Ecológico Europeu e com os objetivos de transição energética e digital em Portugal. 

Esta parceria materializa-se na oferta aos clientes de ambas as empresas do dobro de dados móveis contratados nos pacotes de comunicações NOS e de um desconto adicional de 1% nos serviços de energia (eletricidade e gás) contratados à EDP Comercial, passando estes clientes a ter eletricidade 100% verde, produzida a partir de fontes renováveis. Desta forma, ajudam a dar um contributo decisivo para a descarbonização do planeta. 

No caso dos novos clientes EDP Comercial e clientes EDP Pack Living, que já têm acesso a benefícios adicionais em energia, lazer e outros, o desconto aumenta para os 2%, podendo chegar aos 8% (consoante o tarifário), sempre com a garantia de eletricidade 100% verde nas suas casas ou negócios. A estes novos clientes é ainda atribuído um vale NOS no valor de 25 euros para aquisição de um smartphone.

Esta parceria abrange os clientes particulares e clientes PME, de ambas as empresas, e não tem qualquer impacto nos períodos de fidelização nos contratos com a NOS. A ativação é 100% digital, podendo ocorrer através da app NOS ou da app EDP Zero, permitindo o acesso rápido aos benefícios disponibilizados. 

De acordo com Daniel Beato, Administrador Executivo da NOS, “ao juntar a ambição estratégica e a energia de duas grandes empresas nacionais, criamos um movimento com potencial ilimitado. Esta parceria permite-nos simultaneamente garantir que os nossos clientes têm acesso a vantagens exclusivas no setor da energia e das telecomunicações e aproximá-los da nossa visão para um futuro energeticamente mais sustentável.”.

Para Gustavo Monteiro, Administrador da EDP Comercial, “esta parceria pretende garantir aos clientes uma oferta de serviços cada vez mais completa e adequada às suas necessidades e ao momento que o planeta atravessa. Para a EDP, é fundamental combater as alterações climáticas e promover o uso de energia 100% limpa. Esta parceria vai ajudar o cliente a acelerar a transição energética e a mudar já hoje o amanhã.”.

As duas empresas tinham já dado outro passo para a sustentabilidade energética na Península Ibérica, ao terem anunciado, no passado mês de maio, um acordo para compra de eletricidade renovável a longo prazo (PPA – Power Purchase Agreement). Inovador e pioneiro no mercado nacional, este contrato PPA, no valor de mais de 32 milhões de euros, tem a duração de mais de 10 anos e pressupõe a construção de um novo parque eólico, bem como o fornecimento de 62 GWh anuais de eletricidade, o que vai permitir à NOS ter 40% da sua operação alimentada por esta energia verde já em 2023.

Parcerias como esta permitem o investimento em novos ativos renováveis, que reduzem a dependência de combustíveis fósseis e contribuem para a transição energética, uma mudança que a NOS e a EDP consideram essencial na sociedade portuguesa e fundamental no caminho para a transformação digital, dimensões nas quais pretendem ser agentes ativos.

 

subscrever newsletter

56 visualizações