Etiqueta:

pegada ecológica

2021 ficou marcado por grandes momentos de discussão ambiental como a do novo aeroporto de Lisboa, o projeto de ampliação da Mina do Barroso, os esquemas “monopólio” da compra e venda de barragens, o projeto de construção da Barragem do Pisão, entre tantos outros temas que dominaram a agenda mediática e que foram alvo de atenção de várias entidades ambientais. O ano de 2022 surge com a oportunidade de pôr em prática hábitos ambientais mais sustentáveis e que contribuam, de facto, para a preservação do ambiente.

2021 foi um ano, onde o nosso país falhou todos os indicadores de pressão sobre os recursos dos ecossistemas. Não podemos continuar a ignorar o enorme impacto que a ação humana tem sobre os oceanos, rios, florestas e os mais diversos ecossistemas. Devemos encarar 2022 como uma nova oportunidade e criar uma frente unida na preservação do ambiente em Portugal e no resto do mundo. Só promovendo cidadãos responsáveis e conscientes, é possível criar impacto e obter resultados” apela João Dias Coelho, Presidente do GEOTA.

Com base neste objetivo, o GEOTA deixa três resoluções para 2022, com o objetivo de ajudar os portugueses a entrar no novo ano com uma pegada ambiental certa, capaz de mudar o rumo do ambiente:

  • Diminuir a compra e uso de plásticos de utilização única, por exemplo, optando por produtos alternativos e que não contenham plástico na sua embalagem ou constituição. Segundo o relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Breaking the Plastic Wave, atualmente, 11 milhões de toneladas de plástico são despejados nos oceanos, todos os anos, sendo necessárias mudanças dos hábitos de consumo e de novas políticas que alterem a economia do plástico.
  • Dar prioridade a aparelhos que sejam mais eficientes e amigos do ambiente, tendo em mente a eficiência energética. Grande parte da eletricidade utilizada nas casas portuguesas e nos serviços poderia ser poupada desligando aparelhos quando não estão a ser utilizados. Medidas que podem ter um enorme impacto de redução nas despesas dos consumidores, em mais de 30% e também no ambiente.
  • Ser um cidadão atento e informado, procurando ativamente formas de contribuir para a redução da sua pegada ecológica. Realizar passeios à beira-mar e nas margens dos rios, apanhando o lixo que encontra e participar em iniciativas sustentáveis, como é o caso do programa de monitorização ambiental Coastwatch Portugal, promovido pelo GEOTA há 32 anos. Conhecer o património natural, participando em visitas guiadas e atividades de recuperação e renaturalização dos ecossistemas, por exemplo, na Reserva Natural Local do Paul de Tornada. Optar também por transportes públicos e caminhadas a pé, escolher comprar produtos portugueses que excluem a necessidade de matérias-primas importadas, bem como produtos ecológicos e biológicos, são apenas alguns exemplos de formas como um cidadão individual pode contribuir para a preservação do ambiente.

É importante que todos percebam que a conservação do ambiente começa com gestos individuais e que recursos que hoje em dia consideramos dados por garantidos, podem acabar num futuro muito próximo. Estes gestos vão realmente fazer a diferença e pequenas mudanças no nosso dia a dia, podem ter um enorme impacto positivo”, acrescenta João Dias Coelho.

O GEOTA apela à reflexão na forma como o cidadão pode ser mais ativo na preservação do ambiente, partilhando ainda no seu site as 10 resoluções que considera fundamentais para 2022.

Acreditar que pequenos atos podem ter grandes resultados e que a possibilidade de viver num planeta mais limpo e saudável está, efetivamente, ao alcance de todos.

subscrever newsletter

48 visualizações

A nova campanha de publicidade da ‘Veggie Lovers’ explora o segredo mais bem guardado da gama vegetariana da Izidoro – marca 100% portuguesa -, salientando o seu sabor muito próximo ao das carnes a que estamos habituados. 

Com o claim ‘É fácil fazer boa carne sem carne’, a nova campanha, desenvolvida pela agência ‘O Escritório’, procura, num tom humorístico e desafiante, dar a conhecer a recente gama ‘Veggie Lovers’ e as principais características dos seus produtos.

A semelhança com as carnes tradicionais serve de mote para esta campanha que está já visível nas principais redes sociais e nos principais sites de informação, apelando a um público mais jovem que tem na internet uma ferramenta essencial para o seu dia-a-dia.

‘Com todo o respeito pela Argentina’, ‘Não querendo ofender a Alemanha’ e ‘Que nos perdoe o Brasil’, numa alusão aquelas que são consideradas das melhores carnes do mundo, a campanha da ‘Veggie Lovers’ garante que é possível fazer ‘boa carne sem carne’ e 100% vegetal. 

A nova campanha aposta no crescente número de flexitarianos, pessoas que sem querer deixar de comer carne pretendem reduzir o seu consumo. 

Fazendo também referência ao movimento Meatless Monday – que incentiva a não se comer carne, pelo menos, uma vez por semana, às 2as feiras –, a ‘Veggie Lovers’ desafia ainda os consumidores com a pergunta ‘quer cortar na carne?’ e responde, com apetitosas imagens a condizer, ‘prove estas almôndegas’, ‘temos salsichas para isso’ e ‘experimente estes nuggets’.  

A Izidoro, através da ‘Veggie Lovers’, foi a primeira marca portuguesa a desenvolver e produzir produtos frescos vegan com um sabor pensado especificamente para o paladar e gostos dos portugueses

A ‘Veggie Lovers’ disponibiliza atualmente no mercado Almôndegas, Bife, Hambúrguer e Nuggets Vegan, na categoria frescos, e ainda seis referências na categoria Salsichas. 

A nova gama apresenta ainda uma pegada ecológica mais amiga do ambiente, com embalagens 100% recicláveis e com menos 70% de plástico nos artigos frescos.

Todas as referências estão disponíveis nos habituais pontos de venda, nomeadamente nas cadeias Lidl, Meu Super, E.Leclerc e El Corte Inglés. 

Mais informações em: https://veggielovers.izidoro.pt/

subscrever newsletter

63 visualizações