Etiqueta:

tecnologia

O Back Market tem como objetivo tornar a tecnologia recondicionada a primeira escolha  para compras de dispositivos eletrónicos mostrando que, não só estes são mais económicos como também mais sustentáveis ao integrarem um modelo de economia circular. Prova de tal é que estes produtos apresentam valores até 70% mais baixos do  que o mesmo aparelho quando comprado novo.  

Para o pai: Porque não potenciar o tempo em família oferecendo ao pai cinéfilo um  projetor? Este equipamento pode ser conectado com uma televisão ou computador e  projetar qualquer filme ou série numa parede branca, ou até num lençol. 

Para a mãe: Para as mães, a sugestão recai sobre material fotográfico, seja uma  máquina fotográfica instantânea, digital ou até, para quem preferir arriscar, um drone,  agora é possível presentear a mãe com a possibilidade de registar os melhores  momentos deste Natal, e todos os que se seguem. 

Para o irmão: porque os geeks também estão preocupados com o ambiente, para os  irmãos viciados em videojogos, o Back Market sugere a oferta de uma consola de jogos.  Esta pode ser portátil ou não. Outra opção, caso este membro da família apenas precise  de um acrescento ao equipamento que já tem, pode ser um comando ou óculos de  realidade virtual, uma vez que a plataforma de aparelhos recondicionados disponibiliza  opções para todos.  

Para a irmã: Para as irmãs, e já a considerar a noite de passagem de ano, porque não  oferecer um modelador de cabelo ou até um aparelho para cuidado de pele?  

Para os avós: Sejam mais simples ou os mais modernos e complexos, os robôs de  cozinha são cúmplices na preparação da ceia de Natal. Então, a sugestão do Back  Market passa pela oferta da possibilidade de os avós continuarem a preparar refeições  divinais, enquanto ainda poupam tempo para estar em família.

O Back Market está em Portugal desde março de 2021 e o seu foco é a apresentação  dos produtos recondicionados como mais do que uma opção, a escolha certa para a  compra de tecnologia. Têm já mais de cinco milhões de clientes a nível global e 1.500  recondicionadores na plataforma, garantindo oferta suficiente para corresponder à  procura dos consumidores.

subscrever newsletter

24 visualizações

Um dos objetivos do Green Purpose é dar voz e visibilidade a projetos e ações sustentáveis, que ajudem a inspirar outras pessoas e organizações. Sejam elas dos setores mais óbvios, ou não. Nesse sentido, não poderíamos estar mais felizes com a disponibilidade da Cláudia Rodrigues, Portugal Marketing & Communications Head da Samsung, para partilhar connosco a visão e ações que a Samsung incorpora, levando a sustentabilidade ao setor da tecnologia.

 

 

A nível internacional, a Samsung realizou uma iniciativa chamada “Planet First”. Em que consistiu? De que forma Portugal aderiu à campanha?

 

A iniciativa Planet First tem por base a reciclagem de plástico e a recolha de resíduos de equipamentos eletrónicos obsoletos e a utilização de plástico reciclado em novos produtos.

Com esta ação a Samsung estima que até ao final deste ano sejam recolhidas cerca de 3,8 milhões de toneladas de resíduos. Além disso, 90% dos equipamentos respondem aos padrões de marca verde que se traduz na redução da emissão de gases de efeito estufa até 250 milhões toneladas no período entre 2009-2020.

No caso particular de Portugal, nos últimos anos, temo-nos associado ao Ponto Eletrão para a operacionalização desta iniciativa, sendo que este ano desafiámos também os nossos concessionários para que pudéssemos alargar a área de atuação e fazer chegar a mais empresas e instituições, no território nacional, a importância da recolha de equipamentos elétricos e eletrónicos, pilhas e lâmpadas.

Desde 2018, que conciliamos a esta iniciativa uma dimensão social, revertendo a quantidade de lixo eletrónico em valor que doamos a instituições promovendo também assim a área da responsabilidade social.

Esta vertente da parceria com o Eletrão e os nossos concessionários técnicos significa muito nós, porque é um contributo concreto que damos na melhoria da vida das pessoas e do planeta. Assumimo-la como parte da estratégia de Responsabilidade Social Corporativa da Samsung na medida em que concretiza os princípios pelos quais nos regemos enquanto empresa global.

 

Um dos maiores desafios do setor em que a Samsung opera tem a ver com a eficiência energética. Que iniciativas têm sido levadas a cabo para promover este tema?

 

Vivemos tempos de rutura, potenciados pela forma como entendemos e vivemos a tecnologia, e pelo crescente compromisso relativamente à conservação de recursos. Alterações que afetam, quer a produção de equipamentos tecnológicos, como o seu consumo a nível universal. Estamos perante uma nova era, onde é essencial que as grandes tecnológicas se preparem e se convertam em agentes ativos da mudança dos atuais modelos de negócio.

O desenvolvimento de produtos de elevada eficiência energética, é uma necessidade global para a preservação do meio ambiente.

Tendo em conta o compromisso da marca a nível de sustentabilidade e de redução da pegada ecológica, é de extrema relevância disponibilizar uma gama de produtos de elevada eficiência, além de se responder à procura crescente por parte dos consumidores nacionais (por exemplo, a procura de soluções mais eficientes em Combinados A+++ cresceu mais de 60% – dados internos de vendas).

 

A Samsung incorpora a sustentabilidade ao longo de toda a cadeia de valor? De que forma?

 

Através de uma gestão cuidadosa, consideramos os fatores ambientais em todo o ciclo de vida dos nossos produtos, incluindo o fornecimento de matérias-primas, design, produção e comercialização.

Indo além da prática convencional de utilizar recursos uma vez e descartá-los, a Samsung trabalha para assegurar que os recursos podem ser reutilizados mediante a recuperação, reutilização e reciclagem após o fim da vida útil do produto.

Através desta economia circular, estamos a reduzir a quantidade de recursos naturais usados, a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e de poluentes provenientes da incineração dos resíduos, e a prevenir a contaminação do solo e das águas subterrâneas causada pelos aterros.

 

Um tema que está nas agendas na atualidade é a economia circular. Que iniciativas a Samsung tem feito para promover esta tendência crescente?

 

Mais do que iniciativas a economia circular está presente há muito na Samsung.

Ao reforçarmos a durabilidade dos nossos produtos antes do lançamento (através de uma série de testes de fiabilidade rigorosos, da disponibilização de uma rede de serviços de reparação convenientes em dezenas de locais de atendimento e com uma aposta em atualizações contínuas do software), a Samsung está a alargar a vida útil dos seus produtos, contribuindo para a economia circular. Porque essa é a melhor forma de sermos sustentáveis – fabricando produtos duradouros de boa qualidade.

 

 

samsung - food skills

 

 

 

Na eletrónica de consumo, quais são as preocupações com a sustentabilidade por parte dos consumidores?

 

O consumidor é o agente facilitador de todo o processo e devemos concentrar-nos que a consciencialização ambiental está também a aumentar, através das novas gerações. Este será um fator crucial de implementação dos modelos circulares e aqueles que fecharem os olhos a esta realidade, perderão a capacidade de competir neste novo mundo.

Além disso, para fomentar o desenvolvimento de equipamentos mais sustentáveis e reduzir genericamente o consumo de energia, a União Europeia aprovou nova legislação energética aplicável a grandes domésticos (Equipamentos de Refrigeração, Máquinas de Lavar Roupa, Máquinas de Lavar e Secar Roupa, Máquinas de Lavar Loiça) que entra em vigor a partir de 01 de Março de 2021.

A nova legislação vem apresentar novas escalas e métodos de cálculo, de forma a “obrigar” os fabricantes a novos saltos tecnológicos para conseguir produtos que estejam no topo da tabela de eficiência energética e que estes respondam às novas exigências dos consumidores.

Mas o compromisso com a sustentabilidade vai além do produto que comercializamos. Assumimos desde sempre que o que move a marca Samsung é a melhoria da qualidade de vida das pessoas, e como a tecnologia desempenha um papel fundamental e facilitador. O projeto Food Skills, que lançámos em Março, tem como objetivo ajudar a capacitar as famílias para uma gestão alimentar mais consciente e acreditamos que este é um importante contributo para sociedade atual, numa perspetiva de sustentabilidade.

Tudo isto se aplica num conceito de comunicação a que apelidámos de Business to Society, que visa uma abordagem mais educacional: evitar a abertura desnecessária das portas do frigorífico ou congelador, gestão cuidada da lista de compras para só se comprar o que efetivamente faz falta e evitar o consequente desperdício alimentar.

Este ano também apresentámos pela primeira vez o “eco-packaging” na linha de TVs Lifestyle. As caixas feitas de cartão ondulado duplo, permitem que os consumidores possam facilmente reciclar ou reutilizar estas caixas de cartão de uma forma mais criativa.

Aplicámos um design de pontos que servem de molde para criação de pequenas mesas de apoio, suporte de revistas ou até casas para os animais domésticos. Pela boa aceitação que tivemos com esta ação, comprometemo-nos com extensão destas embalagens reutilizáveis para toda a gama QLED

 

 

Nos próximos anos, veremos um mercado tecnológico mais descarbonizado, mais renovável e mais flexível

 

 

 

Como é que a Samsung as incorpora nos produtos?

 

Nos próximos anos, veremos um mercado tecnológico mais descarbonizado, mais renovável e mais flexível.

Os desafios particulares desta época, de transição tecnológica e ecológica, não podem resumir-se a boas vontades e aos conceitos tão abordados como a sustentabilidade. Falamos de ações concretas que impactem não só a comunidade envolvente como a sociedade no seu todo.

Repensar a eficiência dos equipamentos que utilizamos e estabelecer objetivos para o meio ambiente SBT (Science Based Targets), em detrimento dos objetivos individuais das empresas, podem ajudar-nos a entender melhor a evolução da dinâmica tecnológica que estamos prestes a viver.

A Samsung tem procurado ao longo dos anos manter uma postura sustentável em todos os aspetos da produção de equipamentos eletrónicos, introduzindo padrões de certificação ambiental e possibilitando o aparecimento de novas soluções tecnológicas mais sustentáveis capazes de influenciar a forma como se comercializa, utiliza e gere cada dispositivo.

 

 

Em que medida a sustentabilidade faz também parte da comunicação interna e do quotidiano da Samsung?

 

Em linha com a nossa filosofia de empresa cidadã global, subscrevemos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, mobilizando uma nova geração de cidadãos a agir e alcançar metas como a degradação climática em conjunto.

Estamos mais do que nunca comprometidos com o pilar da sustentabilidade. Somos motores de mudanças positivas, e é por essa missão que lutamos todos os dias, sempre na procura de um mundo mais sustentável.

Envolvemo-nos ativamente em iniciativas com impacto em todo o mundo, nomeadamente em programas emblemáticos como o RE+ (programa de recolha de lixo eletrónico) e o Galaxy Upcycling (transformação de smartphones que já não são usados em dispositivos reciclados).

Em Portugal também temos um historial de promover campanhas ambientais, envolvendo os colaboradores e instituições locais.

 

A responsabilidade social corporativa é importante para a Samsung? Se sim, que iniciativas têm vindo a desenvolver junto da comunidade?

 

Na Samsung trabalhamos diariamente para promover a inclusão digital, para apoiar as comunidades locais e para fornecer aos jovens mais oportunidades e maior literacia digital.

Encaramos o nosso compromisso com a responsabilidade social de forma séria e totalmente transparente, focando-nos em áreas-chave como a educação e a acessibilidade.

Estamos profundamente empenhados nesta aposta da diversidade e na redução de desigualdades demonstrando o propósito da tecnologia como facilitadora e promotora de uma sociedade mais inclusiva e sustentável.

 

Cláudia Rodrigues 

Portugal Marketing & Communications Head – Samsung Iberia

Conta com 20 anos de experiência nas áreas do Marketing e Comunicação, e sempre na Indústria das Tecnologias de Informação. Atualmente tem a seu cargo a gestão estratégica da comunicação da subsidiária portuguesa da Samsung Electronics, tendo sob sua coordenação as áreas de relações públicas, redes sociais, digital, media e CRM, bem como comunicação interna e responsabilidade social.

Formada em Ciências da Comunicação e com uma pós-graduação em Marketing Management, mantém uma dinâmica regular de formação e aquisição de conhecimento, nacional e internacional. Acredita que para se ser um bom prático, é necessário ser-se um bom teórico. Saber aplicar a teoria à prática e utilizar a experiência da prática para repensar e questionar teorias é a base para manter ativo e reciclado o pensamento estratégico, bem como para garantir a flexibilidade necessária para aplicação de novas técnicas e ferramentas de atuação.

Realça a atual responsabilidade na liderança da transformação digital no Marketing e na Organização, ajudando a promover as competências digitais das equipas. Reconhece que, mais do que nunca, a Comunicação é a dimensão mais importante do Marketing porque é através dela que as empresas e as marcas entregam a sua proposta de valor e o seu propósito.

269 visualizações