Schneider Electric: Alerta para a necessidade de reduzir as emissões de carbono

No Innovation Summit World Tour 2021, a Schneider Electric exige uma aceleração urgente da redução das emissões de carbono para alcançar o objetivo de uma economia net zero até 2050.

por Marta Belchior
13 visualizações

Segundo a Schneider Electric,o mundo tem a possibilidade real de acelerar as ações climáticas e reduzir para metade as emissões de dióxido de carbono (CO2) até 2030. Durante a sessão de abertura do Innovation Summit World Tour 2021, Jean-Pascal Tricoire, Chairman & CEO da Schneider Electric, destacou caminhos viáveis para se alcançar o objetivo net zero, segundo o relatório “The 2030 imperative: A race against time” do Instituto de Investigação em Sustentabilidade do Grupo.

Trata-se de uma economia Net Zero quando o resultado entre as emissões e as remoções de carbono é zero, ou seja, é neutro. 

O evento mundial de referência Innovation Summit World Tour abordou os desafios climáticos globais e mostrou a clientes, parceiros, reguladores e legisladores como reduzir rapidamente as emissões para descarbonizar a economia mundial nesta década decisiva. Os participantes poderão conhecer a inovação digital e sustentável da Schneider Electric e aprender mais sobre Eletricidade 4.0 e automação de última geração.

A necessidade urgente de agir com rapidez para descarbonizar

O discurso de abertura de Jean-Pascal Tricoire neste evento exortou a audiência a adotar medidas de descarbonização fundamentais, e ofereceu a própria investigação da Schneider Electric como referência para conseguir manter uma trajetória de aquecimento global de 1.5ºC. Este novo relatório detalha a necessidade de reduzir as emissões entre 30-50% durante esta década, em comparação com os níveis atuais. Não cumprir esses objetivos faz com que seja virtualmente impossível restringir o aumento de temperatura ao limite de 1.5°C definido pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sua sigla em inglês).

O modelo do Instituto de Investigação em Sustentabilidade da Schneider Electric, demonstra como é possível reduzir 10GtCO2 emissões/ano de forma realista e exequível até 2030. O relatório foca-se num subconjunto de emissões globais de casos de efeito de estufa. De 50 GtCO2e/a, encontra-se a oportunidade de reduzir 30% (10GtCO2e/a) de todas as emissões relacionadas com a energia, uma aceleração significativa em relação aos compromissos atuais (que oscilam perto dos 3GtCO2e/a, 10% do objetivo de redução de emissões). Contudo, sobram ainda cerca de 20GtCO2e/a de emissões não relacionadas com a energia, que não estão cobertas pelo modelo deste relatório.

A Schneider Electric pede aos governos e empresas que realizem um esforço 3 a 5 vezes maior do que o atual. O Instituto acredita que o único caminho realista para o sucesso é implementar tecnologias digitais comprovadas, juntamente com uma maior eletrificação, como a forma mais rápida de descarbonizar os edifícios, o transporte e a indústria. Esta abordagem permite ganhar tempo para despender nos setores para quem é mais difícil eliminar emissões. O modelo do Grupo demonstra claramente que seguir caminhos alternativos vai representar um peso demasiado grande para os consumidores.

“Para apoiar as organizações na sua descarbonização a uma velocidade adequada, e para que cumpram os seus compromissos climáticos, estamos a acelerar a expansão do nosso negócio global de serviços de consultoria em sustentabilidade, para satisfazer a crescente procura por um progresso significativo na transição energética” explicou Jean-Pascal Tricoire, Chairman e CEO do Grupo.

Estratégias e soluções para descarbonizar as cadeias de valor

A crescente procura pelos serviços de consultoria focados em “ambições + ações” da Schneider Electric está por detrás desta expansão, que inclui:

  • Consultoria em ação climática, e em serviços relacionados de descarbonização da cadeia de abastecimento e avaliação de riscos climáticos;
  • Serviços de comunicação, incluindo relatórios/classificações ESG e definição das mensagens de reputação e sustentabilidade;
  • Serviços de circularidade e rastreabilidade;
  • Módulos ESG para a galardoada plataforma EcoStruxure™ Resource Advisor para acompanhar as métricas de Sociedade e Governance.

Fazer parte da solução através da disrupção digital

Como parte da sua ambição de conseguir inovação sustentável e uma economia net zero, a Schneider Electric ajuda clientes de muitos setores a inovar e fazer a transição para sistemas abertos, interoperáveis, digitais e simplificados, bem como para formas mais inteligentes de fazer negócios. No Innovation Summit World Tour, o Grupo revela a inovação digital para a redução do carbono em casas, edifícios, Data Centers, redes elétricas e indústrias.

Atualmente registamos a convergência do digital e do elétrico com o software. A eletricidade faz com que a energia seja sustentável e o melhor vetor para a descarbonização. O digital torna a energia inteligente para impulsionar a eficiência e eliminar o desperdício. Esta convergência gera a ‘Eletricidade 4.0’, o combustível de um Novo Mundo Elétrico.

Data Centers: A nova APC™ Smart-UPS™ Ultra 5kW é a primeira Fonte de Alimentação Ininterrupta (UPS, na sua sigla em inglês) de 5kW do mercado, concebida para oferecer mais energia, flexibilidade e monitorização inteligente com as dimensões mais reduzidas, libertando valioso espaço de TI para aplicações de Edge. Os clientes de Data Center da Schneider Electric reduziram a sua pegada de carbono em 37%.

Smart Homes: A Schneider Electric anuncia uma série de soluções inteligentes e sustentáveis para as casas, incluindo o Wiser, que ajudam a combater o desperdício de energia. Até 2050, espera-se que as casas sejam o maior consumidor de eletricidade e o maior contribuinte para as emissões de CO2 (até 34%).

Distribuição Elétrica Inteligente: Repensar os produtos digitais TeSys Giga, Canalis Busbar, PrismaSeT, New Gen ComPacT, TransferPacT e EcoStruxure Power™, a Schneider Electric irá oferecer uma experiência de utilizador mais simples, sustentável e segura, para que os instaladores e parceiros de serviço possam melhorar a resiliência da economia digital mundial, como parte do programa Partnerships of the Future.

 

subscrever newsletter

Artigos Relacionados